WhatsApp Image 2019-08-02 at 13.01.29.jpeg
A caravana tem dialogado com a população sobre os retrocessos no atual governo. Foto: Divulgação MST

 

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia
Da Página do MST 

 

Entre os dias 31/7 e 2/8, a região Nordeste do país recebeu a Caravana da Resistência. Com o lema “Terra, Aposentadoria digna e Lula livre”, a inciativa contou com a participação dos deputados federais Valmir Assunção (BA), João Daniel (SE), Paulo Pimenta (líder do PT na Câmara Federal) e de representantes de diversos movimentos populares, entre eles o MST.


A caravana tem dialogado com a população sobre os retrocessos no atual governo, como a Reforma da Previdência, que afeta negativamente a vida dos trabalhadores e trabalhadoras. 


Nessa primeira etapa, três estados receberam a caravana: Sergipe, Pernambuco e Bahia.


Na Bahia, a visita aconteceu entre os dias 31/7 e 1/8 e passou pela região Norte do estado, sendo recebida por famílias que moram nos arredores de Juazeiro e cidades circunvizinhas. Além disso, passou também pela região Nordeste, com destaque para o município de Paulo Afonso. 


Mais de mil pessoas receberam a caravana em sua passagem pela Bahia. 


Evanildo Costa, da direção nacional do MST, acompanhou a iniciativa pela Bahia e diz que se faz necessário dialogar com a classe trabalhadora nesse “momento sombrio” e completou: “O momento é realmente de estudo, para que o povo saiba que o governo colocou um alvo nos trabalhadores quando consegue aprovar leis que nos desfavorecem e no Nordeste está ação se faz mais urgente”.


“O povo nordestino é resistente desde sempre. Ajudamos a construir o Brasil e agora querem tirar o país da gente. Não podemos permitir que isso aconteça. Fomos resistentes no processo eleitoral e continuaremos”, afirmou Costa.


Doação de alimentos


No bojo dos debates sobre Reforma Agrária e em torno da construção de uma reforma da previdência digna e Lula livre, o MST realizou a doação de frutas, verduras e legumes à Fundação Lar Feliz, na cidade de Juazeiro, que atende diariamente cerca de 500 crianças.


Foi doado mais de uma tonelada de alimentos saudáveis produzidos nos assentamentos e acampamentos do Movimento.


Márcia Mascarenhas, do setor de comunicação do MST, enfatiza que a caravana conseguiu juntar o debate político, que se faz urgente e necessário, com a luta concreta dos movimentos. 


Sobre a doação de alimentos, ela explica que “estudamos e contribuímos com as necessidades básicas das crianças da Fundação. Se o foco do governo é acabar com a classe trabalhadora, nós estamos em luta contra tudo isso”, finalizou. 

 

LEIA MAIS: Primeiro dia da Caravana da Resistência afirma a luta por Reforma Agrária e Lula Livre

 

*Editado por Wesley Lima