WhatsApp Image 2019-07-09 at 8.25.18 AM.jpeg
Educadores e educadoras das escolas de assentamentos da Reforma Agrária se reúnem para discutir os avanços e desafios da educação do campo. Foto: Arquivo MST/ES

 

Por Mariana Motta
Da Página do MST

 

A luta por educação pública, popular e libertadora é uma das tarefas do MST, que ao comemorar 33 anos de história no Espírito Santo, realiza o 31º Encontro Estadual de Educadores e Educadoras da Reforma Agrária.

 

O objetivo da atividade é debater os desafios, avanços e as perspectivas na construção de uma educação do campo de qualidade, para as famílias das trabalhadoras e trabalhadores da Reforma Agrária.

 

Entre os dias 11 e 13 de julho, cerca de 250 educadores e educadoras das escolas de assentamentos da Reforma Agrária se reúnem no município de São Mateus, para discutir os avanços e desafios da educação pública do campo, numa perspectiva popular e libertadora.

 

Com o tema “Estudar, Organizar, Fortalecendo a Educação Popular”, o Encontro possui uma ampla programação com atividades e estudo sobre o atual momento político do país e o processo educativo. Estará em debate o avanço do capital na educação, o legado de Paulo Freire na Educação Popular, bem como os desafios e potencialidades do Plano de Estudo no currículo das escolas do campo. 

 

O encontro também conta com a socialização de experiências educativas das escolas da Reforma Agrária, exposição de materiais pedagógicos realizados nas escolas, além da Feira da Reforma Agrária com diversos produtos agroindústrializados e in natura vindo dos assentamentos e acampamentos do estado.

 

Este ano a atividade ocorre com a participação de estudantes Sem Terra das escolas de assentamento, em estudos sobre a importância do Plano de Estudo na vida social e política dos estudantes e o papel da juventude na defesa do direito à educação pública, popular e libertadora. 


 

*Editado Por Solange Engelmann