Acampamento LulaLivre.jpeg
Reunião na Ocupação Lula Livre, em Roraima. Fotos: Divulgação MST

 

Da Página do MST
 

A luta pela reforma agrária conquistou mais um aliado com o acampamento Lula Livre, em Roraima, região norte do país. Cerca de 150 famílias ocupam hoje a antiga fazenda Tocantins, localizada Município de Mucajaí, a 68km da capital Boa Vista.
 

As terras pertencem à União devido a um processo de grilagem. Desde então, a área de aproximadamente 650 hectares se encontrava improdutiva, descumprindo a sua função social garantida pela Constituição.
 

Acampamento LulaLivre2.jpeg

A ocupação é um instrumento de luta das trabalhadoras e trabalhadores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Roraima. Ao ocupar as terras desta região, as famílias reivindicam que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) retome os processos de reforma agrária para poder dar utilidade à região da antiga fazenda.
 

“Reivindicamos o direito ao acesso a terra, denunciando a paralisação das políticas de reforma agrária. Queremos que o Estado cumpra seu papel de garantir a execução deste nosso direito constitucional, exigindo assim a democratização da terra”, afirmou uma das acampadas.


Dentro do acampamento, as famílias exercitam a importância da organicidade e do respeito aos acordos coletivos para avançar na luta. Acampadas desde o final de abril, elas sonham em poder produzir e viver dignamente e  seguem em luta em busca pela reforma agrária popular.
 

*Editado por Fernanda Alcântara