WhatsApp Image 2019-04-08 at 17.48.05 (1).jpeg
Fotos: Bruno Alves

 

Por Kelen Alves e Julyara Costa
Comunicação MST


Nesta tarde de segunda (08) integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) do Paraná e do Congresso do Povo realizaram a doação de uma tonelada de alimentos para quatro ocupações do bairro Cidade Industrial de Curitiba (CIC) - Tiradentes, Nova Primavera, 29 de Março e Dona Cida. A doação ocorreu na comunidade Tiradentes, para depois ser distribuída entre as família mais necessitadas das quatro ocupações.  


Fazendo parte da Jornada de Lutas de Abril, os 40 militantes do MST, vindos de todas as regiões do Paraná, distribuíram os alimentos trazidos pelas caravanas e conheceram como é a organização dos moradores das comunidades.


Os alimentos doados são de produção orgânica, produzidos pelas famílias agricultoras ligadas à Cooperativa Terra Viva e pelo Assentamento Contestado, da Lapa.


Durante a caminhada entre as comunidades, foi realizada a distribuição do jornal Brasil de Fato, usado como trabalho de base com os moradores para melhor compreensão da conjuntura atual em que estamos vivendo.


Juliana Almendro, moradora da comunidade 29 de Março relata a importância da solidariedade dos agricultores do MST, especialmente porque ela e outras famílias perderam suas casas em um incêndio criminoso, em dezembro 2018. "É muito importante a doação de alimentos, pois a comunidade é muito carente. Desde quando foram incendiadas as casas não recebemos ajuda nenhuma da prefeitura, foi tudo por conta de voluntários e doações".

WhatsApp Image 2019-04-08 at 17.48.06 (1).jpeg
Fotos: Bruno Alves


Congresso do Povo


A iniciativa do Congresso do Povo é da Frente Brasil Popular, que reúne cerca de 80 entidades nacionais, entre elas o MST. O Movimento organiza outras ações nos marcos do Congresso em Curitiba e em outros municípios do estado.


Joabe Mendes é integrante do MST do Paraná e organiza a ação do Congresso do Povo em Curitiba, junto a outros militante do Movimento. "É uma ação de trabalho de base, de diálogo com a população da periferia, de ajudar na solução dos problemas concretos das comunidades. Essa relação de confiança e de ação conjunta é que vai dar condições para uma reação do povo diante dos retrocessos que o Brasil vive", explica.