32390260188_663831950f_z.jpg
Os produtos comercializados vêm de diferentes regiões do país, de diversos acampamentos e assentamentos do MST / Foto: Agatha Azevedo



Por Amélia Gomes
Do Brasil de Fato 


Leguminosas e frutas fresquinhas, chás, castanhas e farinha. Esses são alguns dos alimentos que você encontra no Armazém do Campo. Há um ano o local oferece produtos orgânicos e agroecológicos bem no centro de Belo Horizonte. O Armazém é organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e tudo que é vendido no local foi produzido sem o uso de agrotóxicos, respeitando a natureza e os trabalhadores rurais.


A auxiliar de serviços Maria do Rosário é cliente do Armazém do Campo desde a inauguração. Antes de abrir a loja ela não conseguia comprar alimentos orgânicos ou agroecológicos porque sempre estavam com preços altos. “Eu gosto de comprar tudo aqui porque sempre tem muita variedade e é tudo com preço acessível. Eu confio muito nos produtos porque eu sempre vejo muita diferença no sabor”, afirma.


Os produtos comercializados no Armazém vêm de diferentes regiões do país, de diversos acampamentos e assentamentos do MST. O arroz, por exemplo, que é internacionalmente reconhecido por sua qualidade, vem de uma cooperativa de produtores do Rio Grande do Sul. Gildo Rodrigues, gestor do Armazém do Campo, estima que somente neste um ano mais de 5 mil pacotes do arroz foram vendidos. “Antes de ter a loja o pessoal via o MST como uma organização criminosa, de pessoas que não trabalham e o Armazém vem para provar o contrário”, declara.


O recurso que vem da loja é reinvestido nas próprias famílias produtoras, para que elas expandam e melhorem sua produção, parte também vai para ampliação da rede de fornecimento pelo país, como explica Gildo Rodrigues: “O Armazém do Campo fecha a cadeia do sistema produtivo, porque ele organiza e escoa a produção e o dinheiro arrecadado vai para as famílias produtoras. Isso faz parte da proposta do Armazém, porque ele é de todos aqueles que compartilham desse mesmo projeto, que é produzir alimentação saudável”.


Cultura


Além da alimentação saudável, outro ponto forte do Armazém do Campo é a cultura. Todas as sextas-feiras o local abre as portas para shows, saraus e outros eventos. A chamada “Sexta Cultural” do Armazém, já ganhou seu espaço na agenda dos boêmios de Belo Horizonte. No espaço já se apresentaram cantores como Pereira da Viola, Titane, Aline Calixto, a Banda Djambê entre outros artistas. Além dos shows, todas as segundas-feiras, às 18 horas, o local recebe uma roda de capoeira; já nas quintas, às 19h, acontecem aulas de forró. Ambas as atividades são gratuitas.


O local também é aberto para realização de eventos como confraternizações, comemoração de aniversário, lançamento de livros, recitais, ensaios de blocos de carnaval, etc.


Pelo Brasil


O Armazém do Campo existe também nas cidades de Porto Alegre, São Paulo e foi recém inaugurado no Rio de Janeiro. A expectativa do MST é de que no próximo período também sejam abertas lojas em Teixeira de Freitas (BA) e no Recife (PE).


Festival da Reforma Agrária


Seguindo a lista de comemorações, neste ano o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra completou 30 anos de existência em terras mineiras e para comemorar vai realizar entre os dias 14 e 16 de dezembro o II Festival Estadual da Reforma Agrária. Na programação shows, festival de culinária típica, serviços de saúde e também a venda de produtos orgânicos e agroecológicos de todas as regiões do estado.

Serviço

Armazém do Campo

Endereço: av. Augusto de Lima, n°2136 (esquina com Contorno) - Barro Preto
Horário de Funcionamento: segunda à quinta de 8h às 19h, sexta de 8h às 23h e sábado, das 9h às 15h
Telefone: 2528-1660
Facebook: @amazemdocampobh

II Festival Estadual de Arte e Cultura da Reforma Agrária

Data: 14 a 16/12
Hora: de 8h às 22h
Local: Parque Municipal Américo Renné Giannetti
Entrada Gratuita


*Edição Brasil de Fato