Por Gustavo Marinho
Da Página do MST

 

“Vou tentar contribuir na batalha das ideias, agora também pelo twitter, para que o projeto da classe trabalhadora seja vitorioso e que a gente encontre o caminho que seja de fato a solução para os problemas do nosso povo”. Com essa primeira postagem, João Pedro Stédile aderiu na manhã de hoje (10) a rede social Twitter.


O mais novo tuiteiro, como são chamados os usuários da rede, criou seu perfil pelo importante papel das redes sociais no momento de disputa de projetos acirrado nas eleições de 2018. Em poucas horas Stedile já é acompanhado por centenas de perfis que também somam-se à batalha das ideias nas redes.


Com textos de até 280 caracteres, os tweets, como são chamadas as postagens no Twiiter, garantem a interação a partir das opiniões e debates dos usuários em tempo real. O Brasil é o país com o segundo maior número de perfis na rede em todo o mundo, passando dos 40 milhões de usuários.


Cumprindo uma importante tarefa de difusão das ideias, as redes sociais têm assumido grande destaque na campanha para à Presidência da República no Brasil.


No Twitter, por exemplo, somente na última terça-feira (9), a hashtag #HaddadSim foi uma das mais utilizadas na rede em todo o mundo, demonstrando a potencialidade do espaço para travar o debate com a parcela da população que utiliza a ferramenta.


A chamada “Batalha das Ideias”, motor da adesão de Stédile à rede social, partiu da necessidade de ampliar ainda mais a disputa de ideias no espaço. O coordenador do MST pretende somar-se ao debate nas redes motivado pela disputa eleitoral nesse segundo turno que apresenta a rede social como um dos espaços determinantes para a conquista de voto e debate de projeto de país para o próximo período.


Já destacada em outras declarações de Stédile, assim como as redes, as ruas devem ser outro importante espaço de atuação para a campanha eleitoral, centrado no debate, diálogo e corpo a corpo com o povo. “Nós temos que explicar para a população, nós temos que dialogar com os trabalhadores, com os mais pobres. E, para isso, tem que usar argumentos, fatos”, destacou Stédile em entrevista concedida ao Brasil de Fato após o resultado do primeiro turno das eleições no último domingo (08).


Para seguir o perfil de João Pedro Stédile no Twitter, clique aqui.

Já para seguir o MST, utilize esse link.