Do Vio Mundo 

 

O coordenador do Movimento dos Sem Terra (MST), João Pedro Stedile, disse em entrevista ao Brasil de Fato que “graças a Deus” os caminhoneiros fizeram greve para enfrentar a decisão da Petrobrás de aplicar no país os preços internacionais do diesel, da gasolina e do gás. Para ele, o aprofundamento da crise econômica levará ao agravamento da crise política brasileira.


A greve dos caminhoneiros levou o governo Temer às cordas e deixou a esquerda perplexa. Parte da esquerda acredita que a greve será utilizada para semear o caos e justificar o adiamento das eleições de 2018.


Outra parte — centrais sindicais como a CUT e a CTB, por exemplo — deu apoio ao movimento. Na entrevista, Stedile deixou claro que faz parte do segundo grupo: “O Brasil vive uma grave crise econômica e dela resultou uma crise social, política e ambiental.


A burguesia deu o golpe e derrubou a presidenta Dilma justamente para ela ter controle de todos os poderes e com isso aplicar um plano para jogar todo o peso da crise sobre a classe trabalhadora, sobre os mais pobres.


E o que nós estamos assistindo nos últimos meses?


Que não só a crise não arrefeceu, como ao contrário, se aprofundou, tanto que do ponto de vista econômico, alguns economistas renomados já dizem que nós estamos numa etapa de recessão, porque todos os indicadores econômicos de investimento, inflação, alta do dólar, só vem piorando.


Os únicos que estão ganhando dinheiro no Brasil são os bancos e as empresas transnacionais. O resultado disso é que o povo brasileiro tá pagando ainda mais caro os efeitos do aprofundamento da crise econômica.


Nós temos visto nas últimas semanas várias notícias de como se agravaram as condições de vida da população.


Voltou a crescer a mortalidade infantil, voltaram os aluguéis a ser mais altos que a inflação e inclusive o índice de analfabetismo aumentou.


O que que isso significa?


Que é justamente a camada mais pobre dos brasileiros que tá sofrendo ainda mais. Além da denúncia de que o desemprego segue aumentando — nós já estamos com quase 20 milhões de trabalhadores desempregados — e parte deles, sobretudo aqueles mais desqualificados para o mercado, já desanimaram e pararam de procurar emprego, por isso sai da estatística. Mas a situação é muito grave e eu acho que a tendência é a crise política também se agravar, nestas circunstâncias.


A situação da Petrobrás é grave.


Como sempre vem denunciando os companheiros petroleiros, que atuam no sindicato dos petroleiros e na Federação Única dos Petroleiros, a FUP, porque a Petrobrás foi tomada de assalto por esses capitalistas, que tem como único objetivo ter lucro.


Então, a primeira coisa que eles fizeram foi leiloar as reservas do pré-sal e outras reservas que nos tínhamos


Depois começaram a vender o que eles chamam de ativos, é na verdade vender oleoduto, vender distribuidora de petróleo, vender refinarias, tudo isso para eles fazerem caixa e poder remunerar os seus acionistas.


A maioria da população não sabe, porque a Petrobrás é estatal, mas ela não é totalmente pública, 40% dos seus acionistas moram no Exterior, tanto é que veio a público recentemente, quando a Petrobrás indenizou inclusive com 2 bilhões de dólares alguns acionistas dos Estados Unidos, porque pretensamente a Petrobrás teria tido prejuízo nas operações dos EUA.


Agora, eles deram uma medida ainda pior contra o povo brasileiro, que é estabelecer os preços da gasolina, do diesel e do gás nos padrões internacionais, quando nós somos exportadores de petróleo.


Então, os preços foram a esse nível insuportável que todo mundo está pagando e graças a Deus os caminhoneiros autônomos tomaram a iniciativa de fazer essa greve, que é exitosa.


Eu só espero que eles tenham coragem também de botar na mesa da negociação que não só deve reduzir o preço do diesel, o preço da gasolina, mas também o preço do gás, que é que atinge a população mais pobre, que está pagando 80, 90 reais um botijão de gás para poder se alimentar.


Então, a Petrobrás é o exemplo típico da insensatez deste governo, a serviço apenas destes capitalistas que querem se locupletar com uma empresa que é de todo o povo, com o petróleo que é de todo o povo”.

 

Acompanhe a entrevista completa aqui