EDIT agathasaz-2.jpg

 

Por Agatha Azevedo
Da Página do MST

 

Jovens e adultos do interior de Minas Gerais poderão se alfabetizar em cursos gratuitos oferecidos a partir da parceria entre a Secretária de Estado de Educação de Minas Gerais, da Fundação Helena Antipoff, e do Centro de Formação Francisca Veras.


Com o lema "Sim, eu posso!", a Jornada Mineira de Alfabetização começou o trabalho de mobilização de turmas em fevereiro e levará vídeo-aulas, círculos de cultura e outras atividades para oito municípios ao longo de 13 meses.


As aulas se iniciam entre os dias 23 e 25 de abril. Durante esse período, o projeto pretende ensinar mais de 2000 pessoas a ler e escrever.


Para isto, a jornada faz uso de uma metodologia inovadora baseada em um sistema de ensino trazido de Cuba.


"O método foi criado em 2001 pelo Instituto Pedagógico Latinoamericano e Caribenho, inspirado na Jornada de Alfabetização de 1961, quando a sociedade cubana decidiu erradicar o analfabetismo no país", explica Edilene, coordenadora do projeto.


Segundo ela, a forma de ensino utiliza um sistema de códigos que permite a alfabetização em até 4 meses, mas precisou ser adaptada para a realidade brasileira. "O processo final foi construído ao longo de mais de 13 anos de brigadas populares atuando no campo, e se mostrou bastante eficaz em combater a evasão".

 

sel (4).JPG

Na última semana, em Ibirité, aconteceu o seminário de formação para os educadores selecionados no edital do projeto. Entre os debates, estavam a necessidade de seguir o método cubano com bastante atenção e acolher os educandos com respeito, afetividade e comprometimento, afinal, o projeto é uma tarefa militante de alfabetização e de emancipação de sujeitos.


Ao longo dos dias 19 e 22 de abril, os educadores conheceram a história de Leonela Relys, e escolheram seu nome para representar a Jornada Mineira de Alfabetização.


Leonela Relys foi a criadora do método em Cuba, e auxiliou nas brigadas nacionais de alfabetização. Humanista e disciplinada, ela tinha apenas 13 anos quando se aventurou nos confins da Cuba revolucionária com a missão de erradicar o analfabetismo, e formatar um método que pudesse ser internacionalista e solidário com os países vizinhos.


As ações da jornada "Sim, eu posso!" acontecerão nos municípios de Almenara, Novo Cruzeiro, Teófilo Otoni, Tumiritinga, Montes Claros, Itatiaiuçu, São Joaquim de Bicas e Ibirité.

 

sel (3).JPG

 

 

*Editado por Rafael Soriano