photo_2018-03-27_20-14-12.jpg
Divulgação/MST

 
Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia
Da Página do MST
 
 

 

Dialogar sobre as lutas do MST; divulgar as ações e projetos defendidos; e debater os avanços organizativos e políticos conquistados com a Jornada Nacional de Luta das Mulheres Sem Terra. Esses foram alguns dos objetivos que nortearam a visita da militância do MST à Universidade Federal do Sul Baiano (UFSB), no último dia 14, na cidade de Teixeira de Freitas, no extremo sul do estado.


Durante a visita foi construído um bate-papo, onde pontuou-se a importância da inserção da Universidade nas lutas em defesa da Reforma Agrária Popular, principalmente, agora no mês março, quando se intensificam as ocupações de terra.

Paralelo a isso, o MST debateu a construção de um projeto que trabalhe, em parceria com a UFSB, a realização de feiras agroecológicas. Uma delas já tem data marcada: 5 de abril.


As feiras cumprirão o objetivo de divulgar a produção de alimentos dos assentamentos e acampamentos do MST, a partir de um espaço de comercialização de produtos livres de veneno.


Victor Passos, da direção estadual do MST, acredita que a construção de uma parceria com a academia fortalece a luta. “Precisamos ampliar nossa luta e permanecer em resistência pelo direito a terra, moradia, alimentação saudável e bem estar social”, explica.


“Com a feira, além da comercialização de alimentos em Teixeira de Freitas e nos municípios próximos, queremos levar a toda população o debate da agroecologia”, pontua Passos.


Entusiasmados com a proposta de parceria, o corpo acadêmico que recebeu os militantes Sem Terra destacou que o processo de formação e a garantia de um intercâmbio entre experiências produtivas e de resistência do MST, só fortalecem a universidade e os movimentos camponeses.