WhatsApp Image 2018-03-22 at 09.09.57 - Cópia.jpeg
Divulgação/MST

 

Do Coletivo de Comunicação do MST em Santa Catarina  
Para Página do MST


​Na manhã de hoje (22), dia mundial da Água, como parte do Fórum lternativAo Mundial da Água (FAMA), cerca 400 pessoas, integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), da Via Campesina e do setor energético ocuparam a sede da Eletrosul em Florianópolis, Santa Catarina.


De acordo com Pedro Melchiors, dirigente do MAB, ocupar a Eletrosul nesse dia simboliza a luta contra a mercantilização da água e da energia. "Não podemos aceitar a privatização do setor elétrico brasileiro e da Eletrosul. As estatais precisam estar a serviço da classe trabalhadora", afirmou.


A Eletrosul foi criada como empresa pública para geração e transmissão de energia, é controlada pela Eletrobras e vinculada ao Ministério de Minas e Energia. Em 1998, no governo FHC, a empresa teve seu parque gerador privatizado, hoje está nas mãos da Tractebel. Desde 2017 o governo Temer ameaça privatizar a Eletrosul como um todo.

Segundo Cecy Marimon Gonçalves, do Sindicato dos Eletricitários de Florianópolis e Região: "Temer quer privatizar uma empresa pública e lucrativa, patrimônio do povo, que obteve lucro líquido de R$ 1,1 bilhão em 2016. Além disso, a  Eletrosul é líder nos serviços operacionais [transmissão], ela garante a energia para região sul e transmite o excedente pro Brasil".


A ocupação é parte do FAMA, que ocorre entre 17 e 22 de abril na Universidade Nacional de Brasília (UNB). A atividade é organizada por 37 entidades e conta com representantes dos cinco continentes.

 

*Editado por Maura Silva