lavagem-bonfim-esta1.jpg

 

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia
Da Página do MST

Foto: Divulgação

 

Mais de mil trabalhadores Sem Terra participarão de uma das maiores celebrações religiosas que acontecem em Salvador: a Lavagem do Bonfim. A celebração, que acontece nesta quinta-feira (11), a partir das 7h, faz parte da programação do 30º Encontro Estadual do MST na Bahia que começa nesta quarta-feira (10) e segue até o domingo (14). O encontro é realizado no Centro de Treinamento da Secretaria de Desenvolvimento Rural (CTN-SDR), em Itapuã, Salvador.


Confira a programação completa aqui.


Marcada pelo cortejo puxado pelas baianas da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, o qual segue a pé até o alto do Bonfim, para lavar com vassouras e água de cheiro as escadarias e o átrio da Igreja do Nosso Senhor do Bonfim, a lavagem será um momento de integração, comemoração e unidade.


“Religiosidade, integração, fé e democracia. Essas são algumas palavras que ilustram a importância do MST participar deste grande evento que pretende aglutinar trabalhadores e trabalhadoras da Bahia ligados a diversos movimentos sociais do campo e da cidade. Nossa participação é para reafirmar a luta pela terra e apontar a Reforma Agrária Popular como um instrumento importante de diálogo permanente em torno da luta por alimentos saudáveis, na defesa de nossa democracia, nas conquistas de direitos e, principalmente, na construção de nossa dignidade enquanto classe”, explica Elizabeth Rocha, da Direção Nacional do MST.


O movimento já contribuiu em edições anteriores da Lavagem do Senhor do Bonfim, mas neste ano pretende participar de maneira massiva no sentido de intensificar os debates em torno da construção da Reforma Agrária Popular e as denúncias dos retrocessos e impactos do governo Temer na vida das famílias Sem Terra.


Resistência ao golpe


Assim como o MST, vários movimentos sociais na Bahia já se organizam para participar das atividades em protesto e resistência ao golpe de estado. A proposta intensificar as articulações para a formação de um movimento unificado que participe dos festejos de verão em Salvador, com muita luta e resistência, respeitando sempre o caráter religioso das festividades baianas.

 

*Editado por Leonardo Fernandes