comunicação_MST (3).jpeg

 

Por Comunicação MST/PR
Da Página do MST

 

Na manhã desta terça-feira (15), chegaram à capital paranaense cerca de 300 camponeses Sem Terra em busca de uma negociação coletiva junto ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), para solicitar avanços nos processos de Reforma Agrária que estão parados no estado.


São camponeses acampados e assentados nas regiões Norte e Oeste, e vem cobrar agilidade nas áreas ocupadas, e também melhorias para o desenvolvimento dos assentamentos.


“O objetivo nosso é tentar ver com o superintendente os processos que estão em andamento, e o porquê dessa morosidade toda. Se nós não ocuparmos o Incra, eles não dão uma satisfação para nós”, disse o assentado Valter Mendes.


Os Sem Terra pedem audiência com a superintendência para possíveis soluções e avanços nas legalizações agrárias e também assistência técnica.


O processo de negociação coletiva é uma proposta do Movimento para a prática ordenada do processo, onde os acampados e assentados apresentam suas pautas.


Os camponeses pretendem ficar em Curitiba até as demandas serem atendidas, e ser analisados coletivamente.

 

 

*Editado por Rafael Soriano