19990259_1466438120102783_5175930321871189903_n.jpg

 

Por Geanini Hackbardt
Da Página do MST

 

Na manhã desta terça-feira (8), as 300 famílias do acampamento localizado na Fazenda São José, em Coronel Pacheco-MG, foram surpreendidas por um trator, enviado pelo latifundiário Horário Dias, para gradear a terra sobre a plantação dos acampados. É a segunda vez que ele ameaça as famílias desta maneira. Na primeira ocasião foi ateado fogo ao redor dos barracos de lona.


Na ocasião, a polícia acompanhou o latifundiário, garantindo que ele pudesse causar o incêndio. As famílias passaram três dias tentando conter as chamas. Crianças e idosos adoeceram pela grande quantidade de fumaça.


Até o momento, os acampados e acampadas resistem à ameaça, impedindo a máquina de continuar o trabalho. No entanto, a possibilidade de conflito é iminente.


A ocupação iniciada há pouco mais de dois meses já estrutura a produção de hortaliças e frutíferas, para garantir a subsistência e a comercialização de alimentos nas cidades vizinhas. Na próxima segunda-feira está previsto o início da escola itinerante, com abertura de seis turmas de Educação de Jovens e Adultos.
 

20729170_1490358391044089_5811919048734269745_n.jpg


A fazenda São José integra o complexo HD, que domina grande parte do território de Coronel Pacheco e se encontravam improdutivas até a ocupação. O MST reivindica sua desapropriação para fins de reforma agrária e uma imediata posição do Estado, para que o fazendeiro e a polícia parem de colocar em risco a vida daqueles que estão na luta pela democratização da terra.

 

 

*Editado por Rafael Soriano