IMG_2275.jpg

 

Por Pablo Vergara
Da Página do MST

 

Após mais de 30 horas de resistência, luta e muita mística as Famílias do MST deixam as terras da Fazenda Santa Rosa, de propriedade de Ricardo Teixeira.


Essa ação integrou a Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária, iniciada no dia 25/07, dia do/a trabalhador/a rural, com a denúncia da obtenção de terras por políticos por meio de corrupção.


As famílias ocuparam a fazenda na manhã do dia 25, e denunciaram ser este local de lavagem de dinheiro, como no caso da empresa que ali funcionou para receber propinas em contratos de venda de um jogo da seleção brasileira, em 2008.


Condenado na Espanha, investigado nos Estados Unidos e réu em inúmeros processos no Brasil. Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, é uma figura pública, que desde 1994 tem tido praticamente uma vez por ano ações penais promovidas contra si pelo ministério público.


Apesar de todas as dúvidas acerca de como Ricardo Teixeira ampliou seu patrimônio e dos usos dados aos imóveis, o judiciário local, por ordem da juíza Anna Luiza Campos Lopes Soares, determinou no final do mesmo dia 25 a reintegração de posse.


O Movimento denuncia que a ordem da juíza determinava a reintegração durante a noite e mesmo de madrugada. "Compreendemos que tal decisão irresponsável da juíza se insere numa conjuntura de avanço dos setores conservadores que estão gestando um aumento de assassinatos no campo, com o apoio da gestão golpista Temer", analisa Joaquin Piñero, da direção do MST.


Com o sentimento de que a luta foi totalmente vitoriosa por expor as denuncias sobre a utilização de terras para promover a corrupção por empresários e figuras publicas, na tarde do dia 26 as famílias desocuparam a fazenda após realizar um ato político com participação de entidades parceiras da região, que se reavivaram na mística da luta e da resistência proporcionada pela ocupação.


Foram inúmeros os apoios recebidos durante a ocupação, com a presença de diversas entidades, partidos e mandatos parlamentares, cartas e moção de solidariedade. Assim também houve apoio das comunidades rurais e assentamentos no entorno, sociedade dos municípios de Piraí, Volta Redonda e Barra Mansa.


As famílias de trabalhadores rurais Sem Terra seguirão resistindo e lutando pela destinação de terras de corruptos para a Reforma Agrária.


Confira a nota de apoio.


NOTA


Vimos por meio desta nota expressar nosso apoio irrestrito aos companheiros e companheiras do MST que ocuparam a fazenda do criminosos procurado internacionalmente Ricardo Teixeira,  em Piraí, RJ. Somos professores, estudantes universitários, advogados, engenheiros, servidores públicos, comerciantes, que consomem os alimentos cultivados e produzidos pelos assentamentos do MST, verduras, legumes, laticínios, grãos de alta qualidade, saudáveis, sem agrotóxicos. Terras de corruptos não são produtivas para o desenvolvimento social, não geram empregos dignos, não garantem a soberania alimentar do povo brasileiro, destroem o meio ambiente, expulsam povos tradicionais de suas terras. Em vista disso defendemos que essas terras sejam destinadas à Reforma Agrária.


#Pela democratização do acesso à terra;


#Pela defesa e a soberania ambiental e a segurança alimentar dos trabalhadores do campo e da cidade;


#Pela qualidade de vida e a justa divisão da riqueza em nosso país e no mundo;


#Em defesa e pela regulamentação das terras de indígenas, quilombolas, caiçaras, ribeirinhos e assentamentos e acampamentos dos trabalhadores rurais;


Abaixo Assinamos:


1) Sepe VR

2) Lamas/Quilombo Sociocoletivista Chácara Aldeia Tupinambá

3) Pastoral Operária Estadual - RJ

4) Movimento Ética na Política - MEP

5) Oposição Sindical Metalúrgica CSP- Conlutas

6) Fórum de Resistência às Demissões

7) Fórum  Justiça

8) Fórum CG Permanente de Defesa da Educação

10) Levante da Juventude

11)  Associação de Mulheres Beth Lobo de Volta Redonda e Região

12) Mandato Coletivo Flávio Serafini

13) Mandato Tarcisio Mota

14) Mandato Wadh

15) Sintifrj

16) União da Juventude Socialista - UJS VR

17) UNALGBT-VR

18) PCdoB Volta Redonda

19) Associação Mulher, Cidadania, Ambiente e Economia Solidária.

20) Grêmio Estudantil IFRJ - VR

21) MAIS - Movimento por uma Alternativa Independente Socialista

22)  PSOL-VR

 

 

*Editado por Rafael Soriano