Da Página do MST


A Frente Brasil Popular emitiu nesta quinta-feira (29) uma nota em que se posiciona após os ataques terroristas contra órgãos do Governo da República Bolivariana da Venezuela. Para as mais de 80 organizações da FBP há uma ofensiva da extrema direita, mídia burguesa, governo dos EUA e direita continental, que "atuam de forma orquestrada numa guerra midiática e econômica contra o governo democraticamente eleito do presidente Maduro".


Os movimentos e partidos brasileiros organizados na Frente também legitimam o processo de Assembléia Nacional Constituinte, caminho traçado por Maduro para restabelecer a paz social e avançar nas conquistas da revolução iniciada em 1999.


Confira:

 

NOTA DA FRENTE BRASIL POPULAR DE RESPALDO À REVOLUÇÃO BOLIVARIANA E AO GOVERNO DE NICOLÁS MADURO


A Venezuela foi alvo na última terça-feira (27/06) de ataques armados que atingiram as sedes do Ministério das Relações Interiores, Justiça e Paz e do Tribunal Supremo de Justiça. Esses ataques, com evidente caráter terrorista, constituem graves fatos novos no quadro de uma violenta escalada golpista contra a República Bolivariana da Venezuela.


Desde o início de abril último, setores extremistas da oposição venezuelana, em conluio com o imperialismo estadunidense e governos reacionários da América Latina, entre eles o governo golpista do Brasil, estão empenhados na execução de um plano golpista para derrocar o governo legítimo do presidente Nicolás Maduro.


As ações violentas já provocaram a morte de mais de 70 pessoas, destruição de instalações de serviços públicos, entre estes hospitais, e casas comerciais.


A extrema direita, a oposição organizada na chamada Mesa de Unidade Democrática (MUD), os meios de comunicação hegemônicos e os governos dos EUA e da direita no continente atuam de forma orquestrada numa guerra midiática e econômica contra o governo democraticamente eleito do presidente Maduro, que adverte para os perigos de uma guerra civil e uma intervenção estrangeira no país.


O imperialismo estadunidense e a extrema-direita venezuelana nunca aceitaram a consolidação do processo revolucionário e o aprofundamento da democracia popular e direta no país. Igualmente, rechaçam as conquistas sociais alcançadas ao longo das duas últimas décadas da Revolução Bolivariana. Ultimamente, decidiram desencadear uma brutal ofensiva reagindo à convocação do diálogo e da Assembleia Nacional Constituinte, caminhos escolhidos pelo governo do presidente Nicolás Maduro para restabelecer a paz, a estabilidade, reforçar a democracia, os direitos do povo e encaminhar soluções adequadas aos problemas econômicos do país.


Respaldamos o governo democraticamente eleito de Nicolás Maduro e a Revolução Bolivariana, que desde 1999 vem alterando profundamente as estruturas do país, melhorando o nível de vida de seu povo e desenvolvendo a integração latino-americana e caribenha, mola propulsora do desenvolvimento, progresso social e a paz na região.


Neste momento crucial da trajetória da Revolução Bolivariana, respaldamos o processo de Constituinte Popular em curso, que elegerá de forma direta e universal os deputados constituintes no próximo dia 30 de Julho. A Assembleia Nacional Constituinte impulsionará as conquistas da Revolução e promoverá novas mudanças no país, aprofundando a democracia popular, conquistando a paz e promovendo o desenvolvimento econômico e social do país irmão.


Conclamamos os partidos políticos progressistas e os movimentos populares brasileiros a rechaçar a investida golpista na Venezuela e manifestar irrestrita solidariedade ao povo irmão e ao governo do presidente Nicolás Maduro.


29 DE JUNHO DE 2017.


FRENTE BRASIL POPULAR

 

 

*Editado por Rafael Soriano