_MG_9949b.jpg

 

Por Leonardo Fernandes
Da Página do MST
Fotos: Pedro Biava

 

No domingo mais ensolarado do outono paulistano, mais de 100 mil pessoas compareceram ao Largo da Batata, atendendo à convocatória de diversos artistas e movimentos sociais, para o show #SPpelasDiretasJá.


Na semana anterior, um grande ato levou centenas de milhares também à praia de Copacabana no Rio. Também no domingo, foi o tradicional bloco "Eu Acho É Pouco" quem agitou a bandeira das Diretas Já! no Recife. Já se anunciam outras manifestações análogas em Porto Alegre, Salvador e Natal.


Desde às 11 da manhã o público começou a lotar a praça, localizada na zona oeste da capital paulista. O primeiro a se apresentar foi Chico César. “Nós representamos o que a sociedade deseja. Levamos esses sonhos, esses desejos, no nosso corpo, na nossa voz, na nossa dança. Quando os artistas vem pra cá, é porque a sociedade também veio com força. E o desejo do Brasil hoje, é votar pra presidente da República”, afirmou o artista.


Outros grandes nomes da música brasileira também subiram ao palco do show em defesa das eleições diretas. Otto, Tulipa Ruiz, Mano Brown, Emicida, Criolo, Péricles, Maria Gadu, Pitty, foram alguns dos que levantaram a voz em defesa do direito do povo a escolher seus representantes. “Há muito tempo a classe artística está envolvida em política”, disse Mano Brown, o último a subir no palco, ao destacar a forte adesão dos artistas à convocatória.


Alguns consagrados atores também passaram sua mensagem. “O que está acontecendo agora é algo extraordinariamente interessante em um sentido de consciência ampliada do que significa votar e o que significa neste momento pedir por diretas já”, declarou Osmar Prado.


Também houve apresentação do arrastão de blocos de carnaval de São Paulo. O clássico italiano ‘Bella ciao’, foi transformado em ‘Temer Tchau’, uma marchinha irreverente que transformou o Largo da Batata em um grande carnaval pela democracia. “O carnaval é uma manifestação popular espontânea, que democratiza o espaço público, que celebra a união das pessoas. E numa sociedade desigual como a nossa, nosso papel é defender a democracia”, destacou Gabriel Di Pierro, um dos organizadores do arrastão.

 

_MG_9921.jpg

Algumas autoridades políticas também participaram do ato, como os deputados federais Luiza Erundina e Ivan Valente, do PSOL, e Paulo Teixeira, do PT. Além do deputado estadual Carlos Gianazzi, também do PSOL, e dos vereadores Eduardo Suplicy (PT) e Sâmia Bonfim (PSOL).


Para Larrisa Sampaio, do Levante Popular da Juventude, "assim como no Rio de Janeiro, no dia 28, esse show inaugura uma articulação do setor cultural com o movimento social organizado para realizar atos em todo o Brasil pelas Diretas Já e por direitos".


“A luta contra o golpe e pelas Diretas Já precisa aglutinar diversos setores da sociedade. Então a ideia é seguir fazendo atos como esse, para levar o debate para todos os setores com essa pauta das eleições diretas”, afirmou Sampaio.

 

 

*Editado por Rafael Soriano