18871159_10210562069420399_1237950441_n.jpg

 

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia
Da Página do MST

 

Nos dias 30 e 31 de maio, o MST realizou o 1º Seminário de Balanço da equipe técnica que atua no projeto “Assentamentos Agroecológicos Fidel Castro”.


A atividade aconteceu no Assentamento Paulo Kageyama, no município de Eunápolis, e contou com participação de 50 pessoas, onde foi apresentado um balanço das ações desenvolvidas pelos técnicos nas áreas que o projeto contempla.


Para Marileia Vaz, coordenadora da produção do projeto, o espaço foi muito importante, pois os representantes das áreas não só apresentaram as questões que envolvem as ações, mas também construíram um espaço de avaliação e planejamento das atividades para o próximo semestre.

 

photo_2017-06-02_17-51-49.jpg

Durante o seminário, foram realizadas diversas palestras com o tema da agroecologia e do campesinato. Houve também rodas de conversas e uma avaliação, que buscou sistematizar as iniciativas do projeto.


De acordo com Paulo Cesar, da Direção Estadual do MST, o espaço é necessário para concretizar a questão da agroecologia nas áreas do movimento. “Precisamos nos apropriar e eternizar esse assunto para conscientizar nossos companheiros que estão nos assentamentos e acampamentos. Além disso, fazer uma prestação de contas das ações do projeto com as famílias”.


Segundo ele, a agroecologia não nasce do dia para noite, “ela precisa ser praticada todos os dias”.


Assentamentos Agroecológicos


O projeto tem desenvolvido ações de formação e produção em sete áreas do MST no Extremo Sul da Bahia, com o objetivo de implementar de maneira direta a agroecologia e suas dimensões no dia a dia das famílias.


Uma equipe de profissionais estão a frente desse processo sob coordenação da Escola Popular de Agroecologia e Agrofloresta Egídio Brunetto, que possui um acúmulo na construção de diversas experiências agroecológicas.

 

*Editado por Leonardo Fernandes