IMG_0020.JPG
Fotos: Gustavo Marinho 

 

Por Gustavo Marinho
Da Página do MST


Com o objetivo de preparar os coletivos de juventude para o mutirão de trabalho de base no próximo período em todas as áreas do estado coordenadas pelo MST, cerca de 100 jovens das áreas de acampamento e assentamento da Reforma Agrária no estado de Alagoas reuniram-se de 20 a 22/2 no Encontro da Juventude Sem Terra.


Com o lema “Juventude Sem Terra contra o Golpe na Reforma Agrária”, os participantes do encontro aprofundaram o debate em torno da Medida Provisória 759, que estabelece novos acordos relacionadas à Reforma Agrária no Brasil, além de planejar as diversas atividades para debater em todos os acampamentos e assentamentos os ataques que a MP traz aos camponeses e camponesas.


A partir das oficinas com práticas nas linguagens da comunicação e da cultura, os jovens prepararam uma diversidade de materiais que servirá como elemento de debate e de diálogo nas áreas.


“Lutar contra o golpe na Reforma Agrária é uma tarefa da Juventude Sem Terra”, afirmou Alex Alves, também do Coletivo Estadual de Juventude. “Precisamos usar todas as ferramentas, a criatividade e a rebeldia que nós temos para enfrentar esse ataque. Vamos utilizar a música, o teatro, as artes visuais, tudo que a gente puder para conversar com o nosso povo sobre o momento que estamos passando.”


De acordo com Joyce Marcolino, do Coletivo de Juventude do MST, é preciso que a juventude Sem Terra se envolva nesse debate e possa fazer o enfrentamento necessário para defender a Reforma Agrária. “Precisamos preparar todas as nossas ferramentas para não deixar que esse golpe atinja as nossas vidas. O governo quer acabar com a luta pela Reforma Agrária e destruir tudo o que já conquistamos”, disse Joyce.
           

Durante toda a programação do encontro, os jovens construíram diversas estratégias para o trabalho de base, roteiro de peça teatral, músicas, paródias, cartazes e atividades culturais, que a partir do início de março devem ocupar os assentamentos e acampamentos onde o MST está organizado em Alagoas.
           

Para José Roberto, da direção nacional do MST, o encontro é realizado em um importante momento para o conjunto da organização. “É preciso cada vez mais que a juventude Sem Terra esteja disposta a se inserir nas diversas atividades do nosso movimento para, coletivamente, darmos respostas aos desafios que estamos vivendo. O envolvimento da juventude no trabalho de base é indispensável, principalmente pela criatividade, ousadia e disposição na construção de novas formas de dialogar e formar politicamente os diversos sujeitos que estão em nossas áreas”.
 

IMG_0036.JPG