IMG-20170124-WA0034.jpg
Escola construída por assentados na Bahia

 

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia


Foi inaugurada neste último sábado (21), a Escola Municipal Margarida Alves que atenderá cerca de 240 pessoas nas modalidades de alfabetização e ensino fundamental.


A escola foi construída coletivamente pelos trabalhadores e trabalhadoras Sem Terra que investiram seus recursos para garantir o processo de educação dentro do Pré Assentamento Margarida Alves, onde a escola está localizada. Em comemoração a este feito, as famílias assentadas realizaram um ato de inauguração em defesa da luta pela Reforma Agrária e pelo direito à Educação do Campo.


“Acreditamos que a transformação da sociedade e a construção de um mundo melhor também passa pela educação. É fundamental ter uma escola nos assentamentos e acampamentos, pois é um espaço de educar o futuro homem e a futura mulher”, disse Paulo César, da direção estadual do MST da Bahia.


Para os assentados, a construção da escola representa uma conquista fundamental, pois a prioridade ao ocupar o latifúndio é o desenvolvimento da educação do campo. As famílias acreditam ainda que a educação precisa estar presente, nem que seja debaixo de uma árvore ou lona preta.


Educação é um princípio


Além da construção e a luta contra os fechamentos de escolas no campo, O MST luta pela conquista do latifúndio do saber, por compreender que este debate é estrutural, por negar o direito a uma educação de qualidade à classe trabalhadora.


Nesse sentido, as medidas do governo golpista que Michel Temer (PMDB) ignoram toda e qualquer política educacional e isso aponta os retrocessos que os brasileiros vivenciam através de medidas consideradas ante populares e ante democráticas pelos movimentos e organizações populares.


Hoje, por exemplo, cerca de 13 milhões de pessoas são analfabetas e as pautas em torno de melhores condições no campo da educação estão estagnadas. Para Luciene Nunes, também da direção estadual do MST, a escola é um espaço que nos proporcionará melhores condições de ensino e comodidade às crianças, além de garantir o direito de estudar e viver no campo.


Próximos passos


Inspirados nessa iniciativa, já existe um projeto que visa a construção de uma Escola de Ensino Médio também no pré assentamento, com o objetivo de atender as demandas da localidade e comunidades circunvizinhas.