30374273253_1b7d9bfdcc_z.jpg
Cesta "Partilha" / Armazém do Campo


Da Página do MST


Nesta segunda-feira (21), foi lançado o site das cestas de Natal da reforma agrária, produzidas pelo Armazém do Campo, loja de produtos orgânicos e de assentamentos de movimentos campesinos que foi inaugurada em julho deste ano, em São Paulo (SP).


Além da especificidade dos produtos, o Armazém também se destaca pelo funcionamento de um café colombiano no local e pela organização semanal de atividades culturais, como shows e lançamentos de livros.


As Cestas da Reforma Agrária podem ser adquiridas em três tamanhos diferentes: a menor, chamada "Colheita", pelo valor de R$ 84,90, com nove produtos; a "Celebração", por R$ 165,90, com 13 produtos; e a "Partilha", que custa R$ 249,90 e possui 17 produtos.


Segundo Rodrigo Teles, gerente do Armazém do Campo e responsável pela produção das cestas, elas seguem a lógica da loja, "a construção das cestas vem da concepção do Armazém. Elas são diferentes das cestas convencionais de Natal, porque trazem produtos de assentamentos da reforma agrária de várias regiões do país", explica.


"Eu acho importante dar visibilidade para o Armazém, para os produtos orgânicos e famílias assentadas que os produzem. Nem todos os produtos das cestas são orgânicos, mas o principal é que são todos de assentamentos. Tem três tipos de sucos, sendo um deles orgânico, produzidos por uma cooperativa do Rio Grande do Sul, há produtos lactos de uma cooperativa e Santa Catarina, café orgânico do sul de Minas, produzido por famílias assentadas. Também há leite em pó, cachaça, açúcar mascavo e outros produtos", contou Teles.


As Cestas da Reforma Agrária são vendidas na sede da loja, localizada nos Campos Elíseos, zona central de São Paulo (SP), ou virtualmente, através do site. A princípio, as entregas serão realizadas apenas na cidade de São Paulo, e consumidores de outras regiões deverão fazer contato individual no e-mail do Armazém, disponibilizado no site.  


"O site entrou no ar ontem e já tivemos cestas encomendadas em São Paulo, no interior do estado e na Bahia também. Vamos viabilizar a entrega em Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, sendo que as cestas terão alimentos de produção local de cada um dos estados", disse Teles.