Da Página do MST

 

O MST do Pará divulga nota esclarecendo que a ocupação na fazenda Serra Norte, realizada na madrugada de sexta-feira (28), no município de Eldorado do Carajás, no Pará, não possui vínculo com o Movimento Sem Terra.


Os Sem Terra denunciam que as informações divulgadas pelos meios de comunicação do estado são falsas, desinformando a população. E que em nenhum momento a imprensa procurou o MST para checar a veracidade das informações e esclarecer o fato.


Diante disso, o MST denuncia a imparcialidade e manipulação da mídia, em mais uma tentativa de criminalizar movimentos populares legítimos, que lutam por Reforma Agrária, democracia e justiça social.

 

“A tentativa de vinculação do MST com essa ação é mais uma tentativa do latifúndio de criminalizar o movimento, que possui uma luta histórica na defesa dos direitos sociais dos trabalhadores e trabalhadoras, por uma Reforma Agrária Popular e contra toda forma de golpe a democracia”, denuncia a nota.

 

Segue nota na íntegra:


NOTA DE ESCLARECIMENTO


O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra do Pará (MST/PA), vem por meio desta esclarecer que, a ocupação na fazenda Serra Norte na madrugada de sexta-feira (28), no município de Eldorado do Carajás – Pará, não possui vínculo com o Movimento Sem Terra. 

O movimento Sem Terra tem sua luta pela Reforma Agrária Popular de enfrentamento ao estado (e seus governos) e ao grande capital e em nenhum momento teve relações com a ação ocorrida na Fazenda Serra Norte, como vem sendo divulgada por veículos de comunicação, que por sua vez não procurou em nenhum momento o MST para verificar a veracidade das informações e anda propagandeando a desinformação a população.

Repudiamos toda a mídia que se comporta de maneira parcial num claro posicionamento de criminalizar movimentos sociais legítimos.

Compreendemos que a tentativa de vinculação do MST com essa ação é mais uma tentativa do latifúndio de criminalizar o movimento, que possui uma luta histórica na defesa dos direitos sociais dos trabalhadores e trabalhadoras, por uma Reforma Agrária Popular e contra toda forma de golpe a democracia.
Continuaremos firme na luta e no enfrentamento a qualquer forma de tentativa de deslegitimar o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra e de ataque aos direitos do povo.  Nos colocamos a disposição para qualquer esclarecimento sobre o ocorrido.

Se calarmos, as pedras gritarão!
Lutar! Construir Reforma Agrária popular!

Pará, 4 de novembro de 2016.

Direção Estadual do MST- Pará

 

*Editado por Solange Engelmann