unnamed.jpg
Lázaro Pereira da Luz antes de ser preso na luta pela Reforma Agrária em Goiás.


Por Maisa Lima
Da Página do MST 


Integrantes do Comitê de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno visitaram nesta segunda-feira (31), o militante do MST, Lázaro Pereira da Luz, no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia (GO). Ele foi preso no dia 15 de junho em Itapaci, município do Vale do São Patrício, distante 223 km de Goiânia.


Lázaro responde processo por esbulho possessório (crime contra o patrimônio), formação de quadrilha e porte ilegal de arma de fogo. Além dele continua preso também Luiz Batista Borges, que está detido em Rio Verde desde 14 de abril. Os dois lutam pela Reforma Agrária e por uma sociedade mais justa, assim como José Valdir Misnerovicz, libertado em 18 de outubro, após 140 dias no cárcere.


Conforme o frei José Fernandes, membro do Comitê, Lázaro estava "tranquilo, apesar das algemas; muito centrado, apesar do sofrimento”. Quanto à saúde, o Sem Terra está bem e medicado.


“Ele se reconhece como um preso político e está preocupado com os companheiros do MST”, completa Ângela Cristina Ferreira, também do Comitê de Direitos Humanos.


Solidariedade


Pessoas ligadas ao Comitê de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno farão uma visita à família de Lázaro na próxima quinta-feira (03), para levar solidariedade nesse momento difícil de separação. A mesma vive em Itapaci e informou ao militante, ainda na prisão, a boa notícia de que vai ser avô.