Por Carmen Diniz
Do Brasil de Fato


Cuba vem sofrendo agressões por parte dos Estados Unidos desde o início de sua Revolução em 1959. Apesar de tudo, o povo cubano mantém sua firmeza e determinação, não se rendendo às pressões da maior potência econômica e militar do planeta em todos os tempos.


Há mais de cinquenta anos, portanto, o país vem sendo obrigado a suportar o maior bloqueio já exercido sobre qualquer nação na história da humanidade – somando-se a isto diversos ataques terroristas e atos de sabotagem, que visam destruir seus meios de produção para causar escassez de alimentos, de medicamentos, de produtos vários com a finalidade declarada de fazer com que a população, devidamente “estrangulada” derrube o governo revolucionário.


Em 17 de dezembro de 2014, no Panamá, o presidente dos Estados Unidos Barack Obama, em encontro com o presidente de Cuba Raúl Castro, declarou que desejaria restabelecer relações 'normais' entre os dois países e que "o bloqueio econômico, financeiro e comercial durante todo esse período foi inútil".  


Sem o fim do bloqueio - e da devolução do território da baía de Guantánamo - não se pode prosseguir nesta busca ao restabelecimento de relações diplomáticas entre os dois países. O bloqueio é uma medida genocida e criminosa contra o povo cubano, que sofre suas consequências diariamente. A população de Cuba só pretende viver em paz e jamais agrediu o poderoso país vizinho.


Em todos esse anos de bloqueio, Cuba dá um lindo exemplo a toda a humanidade de que é possível resistir vitoriosamente a toda essa monstruosa agressão imperialista. Isso acontece quando todo um povo está dotado de consciência política, determinação de luta e organização.


Há 25 anos os 193 países que compõem a Organização das Nações Unidas (ONU) votam contra o bloqueio na Assembleia Geral que se reúne todos os anos na sede daquela Instituição. Em 2015 foram 191 a condenar o bloqueio.  Este ano, a data da votação da Resolução 70/5 que se intitula “Necessidade de pôr fim ao bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos da América contra Cuba” vai ser nesta quarta-feira, dia 26 de outubro.  


A solidariedade à Cuba convoca todas e todos a se pronunciarem aderindo a esta mensagem e a redobrar a luta contra o bloqueio em qualquer de suas modalidades. Para votar, acesse o sítio:  http://www.cubavsbloqueo.cu/es.


*Carmen Diniz é do Comitê de Solidariedade a Cuba do Rio de Janeiro