WhatsApp Image 2016-10-05 at 10.35.46.jpeg

 

Por Ramiro Oliver
Da Página do MST

 

Nesta quarta-feira (05/10), policiais militares cumpriram mandado de reintegração de posse do Acampamento Filhos da Luta, em Santa Maria da Boa Vista, região do Sertão do São Francisco no estado de Pernambuco.


Dezenas de famílias que ali viviam há mais de três anos produzem alimentos dentro da área, como feijão, milho, banana, mandioca e outros, ficando apreensivas com a ação dos militares. O mandato de reintegração de posse tinha data para o próximo dia 29 e, no texto, não há menção à destruição de barracos e roçados feitos pelos agricultores.

WhatsApp Image 2016-10-05 at 10.35.43.jpeg
Vasto bananal cultivado pelos agricultores acampados.


Durante a ação, trabalhadores foram agredidos pelos policiais. Mesmo sem reação nenhuma, foram efetuados disparos com bala de borracha, deixando feridos alguns acampados. Toda situação ocorreu com muita tensão. No local, muitas crianças e idosos.


O Tribunal Regional do Trabalho constatou a empresa do latifundiário como devedora e que este deverá responder pela execução das dívidas fiscais decorrentes da infração da legislação de proteção ao trabalho.


Até o final da tarde desta quarta, a polícia militar continua dentro do Acampamento, destruindo os barracos de lona que ficaram pra trás.


As famílias declaram que a fazenda Milano (com mais de 80 hectares) foi ocupada em Outubro de 2013 e, desde então, trabalhadores produzem e tiram seu sustento do cultivo de plantações efetuadas nesse período.


Agora a situação das famílias é desoladora. “Foram mandados para um local que nem a polícia sabia onde é, na área de ‘sequeira’, uma situação muito crítica, sem água”, informa o advogado que acompanha a ação, Edgar Mota. Mota dispara: “é preciso denunciar que isso é fruto da falta de Reforma Agrária. Despejar não resolve a situação das famílias!”.

 

 

*Editado por Rafael Soriano