Santa Catarina (2).jpg


Por Fábio Reis
Da Página do MST


Desde a última terça-feira (06), o MST realiza diversas ocupações de terras no estado de Santa Catarina. Uma delas ocorreu no município de Zortéia, onde cerca de 200 pessoas ocuparam a fazenda volta grande, de aproximadamente 80 hectares e montaram o Acampamento Celeste Melo.


A área esta com processo de adjudicação, pois o proprietário tem uma divida com a união de cerca de 30 milhões de reais e está disposto a ceder o local para abater a dívida. A fazenda onde as famílias estão acampadas foi avaliada em torno de 18 milhões.


No entanto, existe um processo levantado pelos arrendatários que reivindicam a posse da terra, alegando ter um contrato. Segundo Vilson Santin, da Direção Nacional do Movimento, o documento apresentado não tem validade, pois sequer tem registro em cartório.


“A família Vagner, que são os arrendatários, iniciaram um processo de titulação como donos da área, mas o contrato que eles apresentaram não é autenticado pelo cartório, e a data que o contrato foi construído é recente, depois que a propriedade já estava empenhorada. De qualquer forma, eles também são grandes devedores da União”, afirma Satin.
 

Santa Catarina (1).jpg
Também houve ocupação no município de três Barras, o acampamento que leva o nome em homenagem a Chico Lessa foi ocupado por cerca de 40 famílias. A área também se enquadra no mesmo processo de grandes devedores.


Outra ocupação ocorreu na Residência FUCK, no município de Monte Castelo. O acampamento Hugo Chávez que conta com cerca de 50 famílias. Ao todo a área tem 700 ha, sendo que o imóvel já se encontra em domínio do Banco do Brasil e passa pelo mesmo processo de áreas com dividas na União.


Nesta semana, o Movimento esteve em Brasília e o Incra se comprometeu em dar continuidade aos processos existentes no estado, como é o caso de Zortéia e Xanxerê, ocupadas no mês passado.


“Arrecadar áreas que são de grandes devedores da União é a nova estratégia do Incra, uma vez que, o país está em crise e na prática o governo não precisa desembolsar recursos para aquisição de novas terras”, explica Santin.


No estado de Santa Catarina existem aproximadamente 11 acampamentos com cerca de 1500 famílias acampadas no total. 


*Editado por Iris Pacheco