ad90dc1a-e307-4f68-80c4-e4aa464f6ac1.jpg


Por Maisa Lima
Da Página do MST


“Já fiz outros cursos de formação do MST, mas precisamos conhecer o processo de luta pela terra, principalmente em Goiás. Não tem nada melhor que aprender”. Essa é a avaliação do Sem Terra João Neves Júnior, de 69 anos, mais conhecido como Vovozão.


João foi um dos 73 participantes da Escola Estadual Dandara, que o MST de Goiás realizou, entre os dias 15 e 20 de agosto, no Acampamento Leonir Orback, situado na ocupação da Usina Santa Helena, em Santa Helena de Goiás, aproximadamente 207 km de Goiânia.


Integrante do Coletivo de Formação do MST no estado, Francisca de Sousa Estácio, conta que a Dandara foi a terceira escola de formação política realizada em âmbito estadual. “É necessário dar aos companheiros e companheiras um conhecimento mais profundo sobre o movimento”, assinala.


Conteúdo


As aulas foram ministradas ao ar livre no acampamento que leva o nome de um dos mártires da luta pela reforma agrária no Brasil e se localiza nas terras hoje pertencentes ao Grupo Naoum, um elefante branco dos tempos da ditadura militar, com débitos superiores a R$ 1 bilhão  junto à União e famoso por desrespeitar seus empregados e o meio ambiente. O MST luta para que a área seja destinada à reforma agrária.


O processo da luta pela terra e como ele tem se dado no Brasil e no estado de Goiás foi um dos temas abordados na escola. O espaço também possibilitou o debate sobre gênero e feminismo, história do MST e sua organicidade, além dos princípios organizativos e como fazer e encaminhar uma proposta. As aulas teóricas eram vivenciadas em oficinas no período da tarde.


Saiba Mais


O acampamento recebeu o nome de Leonir Orback para homenagear o trabalhador rural sem terra Leonir Orback, de 25 anos, do acampamento Dom Tomas Balduíno, em Quedas do Iguaçu, região central do Paraná. Ele foi uma das vítimas fatais de uma ação de policiais militares e grupos de elite da PM ocorrida na tarde do dia 7 de abril deste ano.


*Editado por Iris Pacheco