Campanha_Cerrado_gois.jpg
O evento aconteceu na Igreja do Rosário, no Centro de Goiás, e contou com a participação de movimentos, estudantes e organizações sociais.


Por Coletivo de Comunicação do Cerrado
Da Comissão Pastoral da Terra (CPT)


Em meio ao Cerrado da histórica Cidade de Goiás, distante 140 quilômetros de Goiânia (GO), foi lançada oficialmente a Campanha Nacional em Defesa do Cerrado, que tem como tema "Cerrado, berço das Águas: Sem Cerrado, Sem Água, Sem Vida". O lançamento ocorreu durante o Fórum de Ambiental, espaço de debate que integra o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), que acontece entre os dias 16 e 21 de agosto.


A Igreja do Rosário, no Centro de Goiás, foi onde aconteceu o evento que contou com a participação de um público composto por alunos dos ensinos fundamentais e médios, universitários, pesquisadores, membros de organizações e movimentos socais, além, claro, de representantes de comunidades tradicionais e assentados - a Cidade de Goiás é um dos municípios brasileiros com maior número de assentamentos.  


A abertura do lançamento ficou por conta dos/as Artistas do Cerrado, que apresentaram ao público a peça "Com Cerrado, Com Água, Com Vida". A encenação, segundo o grupo de teatro composto por agentes da Comissão Pastoral da Terra (CPT), "convida o povo a integrar, fazer parte e compor a criação do Cerrado com responsabilidade, ou seja, respeitando a biodiversidade e participando de entidades, grupos, associações e comunidades que defendem nossa Casa Comum, o Cerrado. É a Casa Comum porque nos garante Água".


Confira um trecho da apresentação

Participaram do lançamento o pesquisador Altair Sales Barbosa; Elziene de Abreu, do Coletivo de Fundo e Fecho de Pasto da Bahia; a liderança indígena Antônio Apinajé, do Tocantins; Isolete Wichinieski, da Comissão Pastoral da Terra (CPT); e o mediador Robson de Sousa Moraes, da Universidade Estadual de Goiás (UEG).


Professor universitário há mais de 46 anos e pesquisador, Altair Sales tem publicado vários livros, feito e participado de vários documentários sobre o Cerrado. É considerado um dos maiores estudiosos brasileiros desse bioma.


"Depois que começamos a estudar o Cerrado, em 1971, descobrimos que se trata de um ambiente muito peculiar. Na realidade, é a maior biodiversidade do planeta atualmente. E o Cerrado desempenha um papel fundamental para o equilíbrio, não só do Continente Sul-americano, mas também para o equilíbrio de todos os ambientes da terra. Nesse sentido, a gente luta, desde a década de 70, na tentativa de incutir na cabeça das pessoas uma série de iniciativas que possam ser capazes de colocar fim nesse processo de degradação do bioma", explica.


Elziene de Abreu, durante sua fala no evento, destacou ações que as comunidades de fundo e fecho de pasto do oeste baiano têm realizado em defesa do Cerrado e das Águas, como o Grito em Defesa das Águas e a Romaria do Cerrado. Destacou ainda que a luta pelo Cerrado é dever de todos/as.


"As comunidades tradicionais de fundo e fecho de pasto são guardiões do Cerrado. A prova disso é que só existe Cerrado na Bahia onde as comunidades tradicionais estão presentes. Nossos rios estão secando. E dependemos dos rios e dos frutos do Cerrado para nossa existência. É a nossa vida que está em jogo. Quando falamos em destruição do Cerrado, nós estamos falando da nossa existência. A permanência do Cerrado é a permanência da gente", ressaltou. Em meio a aplausos, o público entoou: "O Cerrado, eu defendo!".


"Nós queremos convidar todos e todas para entrar nessa Campanha", convidou o público, Isolete Wichinieski, da Comissão Pastoral da Terra (CPT) - uma das organizações que compõe a Campanha. "Se o Cerrado deixar de existir, como disse o professor Altair [Sales], deixará de existir Água", destacou. Ela apresentou os principais objetivos dessa Campanha e porque ela necessária. Também enfatizou que essa ação está sendo promovida por dezenas de organizações e povos e comunidades do Cerrado. (Confira abaixo os objetivos da Campanha em Defesa do Cerrado)


Confira alguns depoimentos de pessoas que participam do lançamento da Campanha:


"Sou um ator e um cidadão brasileiro. Vivo desse chão e bebo dessa água, e é por isso que estou aqui [em Goiás] em defesa do Cerrado, da água que bebo e do futuro das minhas filhas. Vamos tomar cuidado com a esperteza e alimentar a inteligência. Pensar mais em ter um ambiente legal do que ter dinheiro no bolso, pois isso me parece que não esteja dando certo" - Eduardo Tornaghi, ator.


"Estou hoje aqui participando da Campanha em Defesa do Cerrado porque entendo que o Cerrado é o berço das águas do Brasil e que todo nosso país depende do Cerrado para o abastecimento das águas, seja para humano, animais ou ampliação da biodiversidade. O Cerrado é um espaço rico e importante para a biodiversidade e para a produção de alimentos saudáveis, além da riqueza de medicamentos caseiros, que dão origem, através dos estudos, há vários remédios. Não podemos deixar matar o Cerrado, porque salvando o Cerrado estamos salvando as nossas vidas" - Willian Clementino, vice-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG), organização que também faz parte da Campanha.


"Estou aqui [no lançamento da Campanha] porque como povo do Cerrado somos pertencentes a este mundo e a esta realidade, e sabemos da importância do Cerrado e das águas daqui para alimentar a vida não só de todo o país, mas de todo o planeta terra. Temos a terra como nossa grande mãe, e o Cerrado é fundamental para o alimento da vida" - Dinorá, professora de Educação Ambiental.


Acompanhe mais informações e vídeos! Clique aqui e acesse a página da Campanha "Cerrado, berço das Águas: Sem Cerrado, Sem Água, Sem Vida".


A Campanha – A campanha é promovida por 36 organizações, movimentos sociais, e entidades. Esse grupo, em sintonia com povos e comunidades do Cerrado, tem olhado com preocupação para o bioma, que tem sofrido ações devastadoras nos últimos tempos, assim como as pessoas que vivem nesse espaço.


São objetivos dessa Campanha – Pautar e conscientizar a sociedade, em nível nacional e internacional, sobre a importância do Cerrado e os impactos dos grandes projetos do agronegócio, da mineração e de infraestrutura; dar visibilidade à realidade das Comunidades e Povos do Cerrado, como representantes da sociobiodiversidade, conhecedores e guardiões do patrimônio ecológico e cultural dessa região; fortalecer a identidade dos Povos do Cerrado, envolvendo a população na defesa do bioma e na luta pelos seus direitos; e manter intercâmbio entre as comunidades dos Cerrados brasileiros com as comunidades de Moçambique, na África, impactadas pelos projetos do Programa Pró-Savana.


Participe da Campanha em Defesa do Cerrado. Saiba mais informações:
Facebook: Sem Cerrado, Sem Água, Sem Vida
E-mail: semcerrado@gmail.com
Em breve o site: www.semcerrado.org.br