5f62a240-a9ea-4d15-be6a-9838d5471188.jpg

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia
Da Página do MST


Na última quarta-feira (10), o Centro de Artes Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), em Cachoeira, foi palco de uma mesa de debate sobre os movimentos sociais e os direitos humanos.


O debate propôs aprofundar questões sobre as conquistas históricas da classe trabalhadora, tendo como base os direitos ligados à ideia de liberdade de pensamento, de expressão e igualdade perante a lei.


Pensando nisto, o MST, Levante Popular da Juventude, Quilombolas e o Movimento Negro protagonizaram as discussões a partir do atual cenário político ao denunciar os retrocessos nos direitos conquistados pelos trabalhadores brasileiros com o governo interino e golpista de Michel Temer (PMDB).


A mística e a simbologia da luta pela terra marcaram a atividade quando 45 jovens do MST entraram na plenária com gritos de ordem e com os punhos esquerdos erguidos contra a lógica de produção do capital e o golpe em curso no país.


De acordo com Leonice Rocha, da direção estadual do MST, o espaço foi importante para construir, junto à universidade, uma linha de pensamento comum acerca da atual conjuntura e avançar na unidade de classe.


“Nosso desafio neste contexto é sermos os protagonistas das lutas. Sem recuar, em momento algum, dos princípios que nos conectam como classe”, destacou.


A atividade foi resultado final da disciplina de Direitos Humanos, do curso de Serviço Social, organizado pelos discentes de direitos humanos e pela professora Dra. Rosenária Ferraz.


Editado por Iris Pacheco