WhatsApp Image 2016-08-09 at 14.43.25.jpeg
Trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade mobilizados em frente à prefeitura.


Por Gustavo Marinho
Da Página do MST


Desde a manhã desta segunda-feira (09), centenas de trabalhadores do campo e da cidade estão mobilizados na cidade de Atalaia, Zona da Mata Alagoana. A atividade realizada pelo Sindicato dos Educadores de Atalaia (SEATA) e o MST reivindica pautas antigas das organizações à gestão municipal.


Os manifestantes ocuparam a sede da prefeitura, onde montaram acampamento, além de realizarem uma audiência pública na Câmara dos Vereadores em que o debate foi em torno da conjuntura política nacional e a realidade e os desafios do município.


“Essa é uma pauta comum ao poder público municipal de Atalaia há 18 anos e que nenhuma das gestões teve a disposição de assumir e cumpri-la”, disse Margarida da Silva, da Direção Nacional do MST.


Segundo a dirigente, a mobilização exige da prefeitura de Atalaia o pagamento em dia dos profissionais da educação do município, além das pautas de infraestruturas sociais e produtivas para as áreas de assentamento na região.  “Temos demandas antigas de estrada, construção e reforma das nossas escolas, entra gestão e sai gestão e os nossos problemas continuam”, denunciou.


O Movimento exige que o município tenha uma política de incentivo para a Reforma Agrária, visto que há uma diversidade de assentamentos no município de Atalaia que são fundamentais para o desenvolvimento da região.


“Mais uma vez a unidade dos trabalhadores do campo e da cidade ocupa a sede da prefeitura, mostrando o nosso compromisso na defesa do povo atalaiense e na denúncia aos nossos inimigos que são comuns”, destacou Margarida.


Jornada da Juventude Sem Terra


Já na manhã desta quarta-feira (10), jovens que vivem nas áreas de assentamentos e acampamentos da região, realizaram uma marcha pela cidade denunciando o descaso com a vida no campo.


A mobilização que também integra a Jornada Nacional da Juventude Sem Terra, levou a denúncia para as ruas de Atalaia a partir de músicas e intervenções teatrais que a juventude realizou na praça da cidade e na sede da prefeitura ocupada.


Com o lema: “Você tem fome de quê?”, os jovens pautaram a educação no campo de qualidade, o acesso às políticas públicas de saúde, a cultura e o esporte.


De acordo com Isaias Torres, do Coletivo de Juventude do MST, a ação da juventude reforça o compromisso dos jovens na cobrança e na construção de uma cidade que possa garantir que todos vivam com dignidade, seja no campo ou na cidade.


“A Juventude soma-se a mobilização na cidade de Atalaia, com muita animação, agitação e rebeldia para expressar as necessidades que sentimos em nosso dia a dia como jovens do campo. Atalaia hoje ouve nosso recado, que vai além dos jovens do campo, mas que também são comuns aos que vivem na cidade”, explicou Isaias.


A mobilização segue exigindo que a gestão municipal receba e negocie as pautas reivindicadas.


*Editado por Iris Pacheco