e6620228-9078-47c6-927f-02bac1ecd517.jpg

Da Página do MST


Compondo as atividades da Jornada da Juventude Sem Terra no estado do Espírito Santo, cerca de 60 jovens realizaram um curso de formação na temática da comunicação e da cultura. O curso aconteceu no Assentamento Vale da Esperança, em Santa Tereza, região Serrana, durante os dias 05 a 07 de agosto.


O encontro que contou com oficinas de música, teatro, vídeo, literatura e rádio, pautou o debate da democratização da comunicação e da cultura, envolvendo os jovens dos assentamentos e acampamentos da região.


Para Mariana Motta, do Coletivo de Juventude do MST, “é muito importante a juventude da classe trabalhadora se organizar para estudar e construir as suas ferramentas de comunicação, falar de um Brasil verdadeiro, pelas vozes do povo, sem mentiras, preconceito e alienação”.


Os jovens participam também do Projeto Organização de Núcleos de Cultura em Assentamentos do MST, desenvolvido em parceria com o Instituto Federal do Espírito Santo (IFS).


“Trabalhar com a juventude do MST é algo que nos ensina demais, e nos mostra um Brasil completamente diferente daquilo que a gente pode acessar apenas através do recurso a literatura especializada”, destacou Adolfo Oleare, professor do IFES e um dos responsáveis pelo projeto.

 

e191584a-a164-45d5-9044-9af05a3a863f.jpg


De acordo com o professor, a realização destas atividades é fundamental para a formação dos educandos do Instituto. “Vivenciando os momentos de formação com a juventude e com as lideranças do MST, conseguimos acessar um conhecimento que está muito para além da literatura especializada, fazemos uma abordagem pelo estudo teórico, mais sendo essencial a vivencia, o contato e, sobretudo essa experimentação com o MST”.


Além do encontro, os jovens realizam diversas atividades nas escolas dos assentamentos do MST, junto a Jornada Cultural “Alimentação Saudável é um Direito de Todos”.


Jornada da Juventude


Com o lema “Você tem fome de quê?” a 7ª Jornada Nacional da Juventude Sem Terra realiza uma diversidade de ações de formação, organização e de luta dos jovens dos acampamentos e assentamentos do país durante toda a semana. Destacando o protagonismo dos jovens na luta pela Reforma Agrária Popular.


*Editado por Iris Pacheco