unnamed (2).jpg

 

Por Priscila Ernst
Especial Jornada de Agroecologia 


Qual é o resultado de alunos criativos, pesquisadores e comprometidos com o resgate histórico de uma região? O projeto Túnel do Tempo na Jornada de Agroecologia!


Como parte da programação da 15ª Jornada, que ocorre no Centro de Eventos da Lapa, Paraná, cerca de três mil pessoas puderam viajar no tempo sem sair do lugar. Isso foi possível a partir do projeto Túnel do Tempo, que de uma forma diferente e dinâmica conta a história dos 100 Anos da Guerra do Contestado.


A experiência é uma iniciativa em educação popular criada no Colégio Estadual Francisco Neves Filho, no município de São João do Triunfo. O Túnel do Tempo está aberto para visitação durante toda a programação da Jornada.


Aproximadamente 60 estudantes, das quatro escolas estaduais de São João do Triunfo, chegaram desde a segunda-feira (25), no local da Jornada. Ali se juntaram com outros estudantes do ensino Fundamental e Médio do Colégio Estadual do Campo do Contestado. A partir daí se tornaram um único grupo e estavam preparados para construir o Túnel do Tempo pelos próximos dois dias.


Para a estudante Diane Veiga Schons, 13 anos, do Colégio Estadual do Campo do Contestado, o Túnel forma um grande coletivo. “Às vezes na escola nós não percebemos a importância disso, mas aqui sim, somos um grupo”, conta.


Argila, pedras, folhas, madeira se juntaram com tinta, cartazes, maquetes, tudo para transformar os cenários do Túnel do Tempo em uma experiência marcante aos visitantes, cada fase da história da Guerra do Contestado foi recriada pelos organizadores.


Os alunos do 2° ano do curso de Formação de Docentes de São João do Triunfo, Larissa Zakrzevski Dombroski, 15 anos e Mauricio Silva Teixeira Filho, 16, começaram a participar do projeto quando ainda estavam no ensino fundamental. Hoje são futuros professores e continuam a divulgar o projeto.


Larissa conta que o Túnel ensina a trabalhar em coletivo, fazer amizades e faz a diferença no processo da educação.


“Eu percebo o esforço que fazemos para montar tudo e quando chegarmos em casa, vou pensar: conseguimos e mais uma vez foi único”, salienta Larissa.


Já o aluno Mauricio explica que o espaço faz a diferença no aprendizado deles porque parte do abstrato para o concreto. “Nós levamos o conhecimento para a vida. Aprendemos a transformar aquilo que está jogado e é considerado lixo para alguns, em cenários para resgatar e construir a História”, conta.


Moradora da Lapa e assistente social aposentada, Luci Hohhmann, 59 anos, se emocionou ao visitar o local.


“Todos os envolvidos com este Túnel do Tempo nesta Jornada de Agroecologia estão de parabéns. Me surpreendi com a consciência política dos alunos. Eles viveram a história junto com a pesquisa que fizeram. Eu já conhecia um pouco da história da Guerra do Contestado, mas as formas como eles explicaram me encantou, explica Luci.


E foi com esse encantamento que mais uma vez o Túnel do Tempo se agrega à programação da Jornada de Agroecologia e constrói a nossa História.


Veja mais sobre a Jornada de Agroecologia aqui