WhatsApp-Image-20160727 (1).jpeg
Fotos: Aline Oliveira

Por Aline Oliveira 
Da Página do MST

 

Na manhã desta terça-feira (26), cerca de 1000 Sem Terra ocupam a sede do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) no Ceará. 


A ação faz parte da Jornada Nacional de Luta em Defesa da Reforma Agrária e contra o Golpe, uma das pautas principais do Movimento, é denuncia sobre a criminalização dos movimentos sociais nas figuras do jurídico e do legislativo.


Os trabalhadores exigem o assentamento imediato para as quatro mil famílias acampadas no estado, projetos de infraestrutura para os assentamentos, retorno do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), políticas públicas de solução para os impactos causados pela seca no estado, que já se estende por anos consecutivos.


"No Ceará o MST reafirma a necessidade da luta pela Reforma Agrária, não admitimos que famílias Sem Terra fiquem mais de 10 anos debaixo da lona preta, enquanto isso, o governo golpista avança cada vez mais na venda de terras brasileiras para estrangeiros. Denunciamos também o acórdão (775/2016), que suspende a distribuição de lotes da Reforma Agrária em todo o Brasil",  afirma Irineuda Lopes da Direção Nacional do MST.


Durante a semana várias audiências estão agendados com a Secretária do Desenvolvimento Agrário, Secretária de Recursos Hídricos, Secretaria de Educação, Secretaria da Cultura, Secretaria das Cidades, Secretaria de Saúde e do Esporte. 


O acampamento no Incra terá um caráter de formação e luta, durante o dia serão debatidos temas de interesse geral da classe trabalhadora como a conjuntura  política e agrária, Sistema Único de Saúde (SUS), previdência social, dentre outros temas.