Por Karina Vilas Boas
Da Página do MST

 

Os Sem Terras do Assentamento Itamarati, que fica localizado no município de Ponta Porã - MS, se organizaram, no início dessa semana e fizeram uma rápida campanha de arrecadação de mantimentos e roupas para os indígenas Guarani-Kaiowá, da região de Dourados – MS (segunda maior cidade em população indígena do país), que estão sendo alvos constantes dos ruralistas e seus capangas em reação às retomadas de territórios dos povos originários.


Mais um ataque aos Guarani-Kaiowá aconteceu no Mato Grosso do Sul. Três indígenas - um homem de 32 anos e dois jovens de 15 e 17 anos, respectivamente - foram baleados na madrugada de terça-feira (12). Os crimes ocorreram em meio ao processo de demarcação de terras dos povos indígenas na região de Caarapó. Os indígenas estavam acampados no “Tekoha-Guapoy”, e foram atacados por pistoleiros que chegaram em quatro caminhonetes e um trator.


Esse é o terceiro ataque aos Guarani-Kaiowá no último mês, na região de Dourados (MS). No dia 14/07, o indígena Clodiodi de Souza foi assassinado e outros seis foram baleados, incluindo uma criança de 12 anos.


Há uma guerra em curso no estado. Segundo relatório do Conselho Indigenista Missionário – Cimi, só entre o ano de 2000 e 2014, 390 indígenas foram assassinados em Mato Grosso do Sul.


Segundo informações de militantes do MST que participaram da campanha, foram dois caminhões cheios de produtos da Reforma Agrária e roupas. A ação aconteceu em parceria com o Banco Ita, ligado a Economia Solidária e da comunidade da Escola Professor Carlos Pereira.


A solidariedade com os indígenas não termina aí. O Assentamento Itamarati e outros assentamentos e acampamentos do MST de MS seguem mobilizados na arrecadação de mantimentos e no fortalecimento das ações unitárias de luta pela terra.

 

WhatsApp-Image-20160714(1).jpeg

 

 

*Editado por Rafael Soriano