Por Agatha Azevedo
Da Mídia NINJA

 

Entre os dias 20 e 24 de julho, Belo Horizonte receberá iguarias de todos os cantos do país. Caminhões carregados com a cozinha e produtos da Reforma Agrária, vindos dos mais diversos assentamentos, trarão a produção do MST para a capital mineira.


A Feira, que acontece na Serraria Souza Pinto, é parte da programação do Festival Nacional de Arte e Cultura da Reforma Agrária e trará mais de 200 toneladas de alimentos para comercialização, dentre eles, produtos agroecológicos, orgânicos, artesanatos, agroindustrializados e in natura.


Produtos especiais


Uma das atrações principais é o Café Guaií, do Sul de Minas Gerais. O famoso cafezinho mineiro é produzido por quinhentas famílias – de três assentamentos e onze acampamentos – que vivem e trabalham na terra desde 1996.


O estado que será palco do Festival Nacional também é produtor do mel e da cachaça Veredas da Terra, que vem da região onde se produz as melhores cachaças do Brasil, o Norte de Minas. Uma das floradas de mel mais apreciadas vem da árvore Aroeira, típica do cerrado e preservada nos assentamentos localizados no Norte e no Jequitinhonha. De lá também serão comercializados açúcar mascavo, rapadura, geleia de umbu e o saboroso doce de castanha de baru.


Culinária da Terra


Da partilha da terra, ocupada e conquistada com o suor dos trabalhadores do campo que lutam pelo direito a ter um espaço para produzir alimentos, nasce uma larga produção, que abrange itens como feijão, café, cana, milho, banana, frutas, leite, gado de corte, dentre outros.


Produtores de 25 estados, distribuídos em mais de 100 cooperativas, 96 agroindústrias e 2 mil associações, trarão pratos típicos de cinco regiões do país para a Feira Gastronômica do MST. Quem passar pelo local poderá provar Pato no Tucupi, Churrasco de Bode, Tapioca, Frango com Pequi, Acarajé, Arroz Carreteiro, o famoso tropeiro mineiro e outras iguarias dos assentamentos.


Além de apresentar os produtos da Reforma Agrária, a Feira Gastronômica terá atrações no palco Balaio Cultural Cora Coralina, uma homenagem a poetiza, que remete à forte veia artístico-cultural do Movimento, que segue os seus passos repartindo o que sabe e aprendendo o que ensina.


Para mais informações, acesse o evento no facebook.

 

 

*Editado por Rafael Soriano