Por Catiana de Medeiros
Da Página do MST
Foto de Capa: Joka Madruga

 

O setor de Educação do MST da região Sul do Brasil realiza, entre os dias 16 a 18 de junho, o 1º seminário sobre Educação em Agroecologia nas Escolas do Campo, no Instituto de Educação Josué Castro (IEJC), em Veranópolis, na Serra Gaúcha.


O objetivo é debater a agroecologia e sua relação com o atual momento de luta de classes no campo, além de pensar maneiras de potencializar nas escolas a Jornada Cultural Nacional "Alimentação Saudável: um direito de todos", lançada pelo Movimento em novembro de 2015.


“Queremos iniciar a construção de orientações para um programa de estudos sobre agroecologia nas escolas do campo, conectando práticas e conteúdos específicos aos estudos das ciências da natureza e da sociedade nas diferentes etapas da educação básica. Nosso intuito também é discutir as relações existentes entre agroecologia, educação, escola e trabalho”, explica Juliane Soares Ribeiro, da coordenação do seminário.


O evento reunirá educadores de Educação Básica de assentamentos da Reforma Agrária e acampamentos dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, incluindo coordenações pedagógicas e professores das áreas de ciências da natureza e da sociedade; profissionais de ciências agrárias com formação em agroecologia, que atuam em assentamentos e ou em escolas do campo; assessores orgânicos do setor de educação; coletivo político-pedagógico do IEJC; e convidados de instituições parceiras do MST.


A abertura do seminário será na próxima quinta-feira (16), às 8h30, com apresentação do plano de trabalho para os três dias de atividades. Em seguida, terá exposição sobre a retomada dos pilares fundamentais de concepção de educação e matriz formativa, e debate sobre a relação entre escola, trabalho e produção, com o educador da Universidade Estadual de Campinas (UniCamp), Luiz Carlos Freitas.


No turno da tarde haverá estudo sobre o desenvolvimento da agroecologia e sua relação com a agricultura camponesa, soberania alimentar, cooperação e reforma agrária. Também estarão em discussão os desafios da formação dos camponeses. Após, terá lançamento do livro infanto-juvenil da ativista Ana Primavesi "A convenção dos ventos: agroecologia em contos".


Confira a programação completa do seminário:


Quinta-feira, 16 de junho
Manhã (8h30 às 12 horas)
– Abertura do Seminário.
– Apresentação dos participantes e do plano de trabalho.
– Retomada dos pilares fundamentais de concepção de educação e matriz formativa. Expositor: Luiz Carlos de Freitas, educador da Unicamp.

Tarde (14 às 19 horas)
– Estudos sobre agroecologia: Exposição I sobre a agroecologia no embate atual de lógicas de agricultura e suas relações com agricultura camponesa, soberania alimentar, reforma agrária e cooperação. Exposição II sobre a concepção geral e conceitos básicos da agroecologia, e os desafios de formação dos camponeses.
– Lançamento do livro de Ana Primavesi, “A convenção dos ventos: agroecologia em contos”, da editora Expressão Popular.
Noite (20h30 às 22 horas)
– Exibição de documentário e roda de conversa.

Sexta-feira, 17 de junho
Manhã (8 às 12 horas)
– Mesa sobre Educação em agroecologia nas escolas do campo de educação básica: questões propositivas de conteúdo e forma.

Tarde (14 às 19 horas)
– Análise de conjuntura.
– Trabalhos em grupos e socialização de práticas agroecológicas realizadas nas escolas.

Noite (20h30 às 22 horas)
– Debate sobre a Jornada Cultural Nacional 'Alimentação Saudável: um direito de todos'.

18 de junho
Manhã (8 às 12 horas)
– Mesa sobre como fazer a educação em agroecologia em nossas escolas: questões e proposições de conteúdo e forma.
– Plenária e encerramento do seminário