WhatsApp-Image-201606081.jpg


Da Página do MST
Foto de Capa: Setor de Comunicação MST/PR


Sem Terras, quilombolas, pequenos agricultores, atingidos por barragens, ribeirinhos, pescadores e camponeses em geral realizam hoje mobilizações em todas as regiões do país. Os mais de 19 mil manifestantes se posicionam contra o governo ilegítimo de Michel Temer e seus ataques aos direitos sociais, duramente conquistados por gerações de trabalhadores.


As medidas adotadas no curto período de governo interino de Temer afetam diretamente a classe trabalhadora do campo. A extinção de ministérios (Ministérios do Desenvolvimento Agrário e das Mulheres, Igualdade Racial e de Direitos Humanos), a fragilização de programas como Minha Casa Minha Vida, Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Bolsa Família, o ataque às leis trabalhistas e a reforma da Previdência estão na pauta dos atos.


Quinze estados realizam manifestações, que começaram na quarta-feira (08) e se intensificam nesta quinta-feira (09). As mobilizações estão centradas em agências da Caixa, Banco do Brasil, Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e superintendências do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), mas em diversos pontos foram também realizados trancamentos e marchas nas estradas.


Para Diego Moreira, da Direção Nacional do MST, “estamos mobilizados para reaver políticas públicas para os camponeses que já estavam conquistadas, mas que agora sofrem ameaça dos golpistas. Temos que fortalecer, e não reduzir, o Minha Casa Minha Vida – Rural, a Previdência Rural e o Programa de Aquisição de Alimentos, assim como toda política de abastecimento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)”.


Confira os relatos da Jornada por todo país:


ALAGOAS


Mais de 3500 militantes dos movimentos populares do campo estão mobilizados desde quarta-feira (08), ocupando agências do INSS e Caixa contra mudanças na previdência rural (como a desvinculação do salário mínimo ou o aumento da idade mínima para agricultores) e em defesa das políticas habitacionais no campo em 11 municípios. Os militantes fazem parte da Via do Trabalho, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), do Terra Livre e do Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST).


PARANÁ


Os Sem Terra estão mobilizados desde a quarta-feira (08), com mais de 1200 trabalhadores em luta. Foi ocupada a agência da Conab e foi erguido um acampamento em frente à superintendência do Incra, em Curitiba. Na tarde desta quinta-feira (09), o acampamento recebeu a visita da vice-prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves (PT), quando dialogaram sobre a necessidade das políticas públicas para os assentamentos.

 

pr jornada.jpg


BAHIA


Mais de 1500 trabalhadores do MST ocuparam no dia 08 o Incra em Salvador e suas unidades avançadas em Bom Jesus da Lapa e Itabuna. Nesta quinta-feira (09), cem pequenos agricultores do Movimento de Pequenos Agricultores (MPA) ocuparam a agência do INSS em Jacobina.


SERGIPE


Em Aracaju, houve duas ocupações ao longo do dia 08: uma na Caixa demandando as políticas de habitação para o campo, protagonizada pelo Movimento Camponês Popular (MCP), MPA, Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos (MOTU) e Frente Sergipana Brasil Popular com 250 manifestantes; outra ocupação com 400 militantes foi realizada na superintendência do Incra pelo MPA, MST e comunidades quilombolas.
Neste dia 09, as ações foram realizadas pela Articulação do Semi Árido (ASA), MST e MPA em frente à sede da Embrapa Tabuleiros Costeiros, por uma Embrapa comprometida com a agroecologia e as semantes criolas e ecoando o grito “Fora Temer”. Participaram do ato cerca de 500 pessoas.


RIO GRANDE DO SUL


Militantes do Movimento dos Atingidos por Barragens realizaram nesta quinta-feira (09) uma caminhada pelas ruas de Erechim, gritando “Fora Temer!” e contra qualquer retrocesso nos direitos duramente conquistados pelos camponeses. Participaram da mobilização mais de 600 famílias.

 

erechim jornada.jpg


PIAUÍ


Cerca de 1000 trabalhadores do MCP, MPA, MAB e MST ocupam desde quarta-feira (08) a superintendência do Incra, em Teresina. Nesta quinta-feira (09), 600 militantes ocuparam a sede do INSS. Mais delegações de camponeses estão chegando à capital piauiense, somando um total de 4000 Sem Terra que participarão das atividades unitárias desta sexta-feira (10).


RIO GRANDE DO NORTE


Foi realizado um “trancaço” na BR 406, na altura de Ceará-Mirim com a participação de 300 famílias camponesas. A mobilização do MST contou com participação do sindicato de trabalhadores rurais e estudantes do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN).


TOCANTINS


Em Palmas, o Incra foi ocupado por cerca de 450 militantes do MST. Durante a ocupação, foram realizadas intervenções de agitação e propaganda pela Juventude Sem Terra e relembrados os companheiros presos políticos do MST no Estado vizinho, Goiás.


PERNAMBUCO


Em Pernambuco, foi realizado nesta quinta-feira (09) um bloqueio geral de estradas. Foram bloqueadas as BR 101 (Palmares, Gameleira e Goiana) e BR 360 (Jatobá, Petrolândia e Floresta), num total de 2 mil mobilizados em doze pontos de bloqueios.

 

pe jornada.jpg


SANTA CATARINA


Em Chapecó, nesta quinta-feira (09), mais de 2000 trabalhadores rurais se mobilizaram pelas ruas da cidade denunciando a perda de direitos dos camponeses. Na parte da manhã os militantes fecharam a agência do Banco do Brasil e à tarde, ocuparam o INSS.


SÃO PAULO


Em Itapeva, foi ocupada a agência da Caixa com mais de 150 pessoas, em defesa do programa Minha Casa Minha Vida – Rural. Também na capital, São Paulo, foi ocupado a superintendência do Incra.


PARÁ


Em Belém, camponeses organizados no MST, na Fetag-CUT, ribeirinhos, quilombolas, pescadores e sindicatos se concentraram no mercado Ver-o-Peso e realizaram marcha pelas ruas da capital. Na passagem pelo Banco do Brasil os mais de mil manifestantes realizaram um ato de denúnica. Em Altamira, região do Xingú, foi ocupado o Incra com cerca de 300 pessoas.

 

para jornada.jpg


DISTRITO FEDERAL


Parlamentares, ex-funcionários do MDA e militantes de diversos movimentos rurais protestaram em frente a sede do Ministério extinto pelo governo interino. A ação que contou com mais de cem manifestantes é contra a extinção do Ministério e contra as políticas conservadoras de Temer.


CEARÁ


3500 trabalhadores se mobilizaram nas cidades de Santa Quitéria, Tamboril, Crateús, Quixeramobim, Itapipoca, Iguatu e Fortaleza. A atividade foi realizada nos centros das cidades, com marchas e intervenções nas agências da Caixa, no INSS e no Banco do Nordeste.

 

ce jornada.jpg


GOIÁS


Pelas ruas de Crixás, 400 camponeses repudiaram as ações do governo interino Michel Temer, como o fim do Programa de aquisição de Alimentos (PAA) e também o fim do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Em Catalão foi ocupada a sede da Previdência Social por cerca de 700 militantes; Ainda, o MCP ocupou a Praça Central de Posse com cem famílias.