WhatsApp-Image-201606082.jpg

 

Por Luis Fernando
Da Página do MST

 

Unidos para denunciar o golpe que vem acontecendo no Brasil, encabeçado por Michel Temer e setores da direita conservadora, com apoio da grande mídia, desrespeitando a escolha de 54 milhões de brasileiros que elegeram a presidenta Dilma Rousseff para o mandato até 2018, trabalhadores do campo e da cidade iniciaram na manhã desta quarta-feira (08) a Jornada Unitária dos Trabalhadores e Trabalhadoras, Povos do Campo, das Águas e das Florestas.


Para delatar e chamar a atenção da sociedade para o golpe e as medidas já em implantação e o que se pretende impor aos brasileiros e brasileiras, foram ocupadas sedes de órgãos federais em Sergipe.


Desde o início da manhã de hoje, trabalhadores estão ocupando a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e da Caixa Econômica Federal, em Aracaju. A Jornada Unitária  acontece em todo país.


Várias atividades serão realizadas de hoje até a próxima sexta-feira, dia 10 culminando com o ato público “Fora Temer – não ao golpe”, organizado pela Frente Sergipana Brasil Popular, que acontece na praça General Valadão, a partir das 15 horas, de onde sairá uma marcha pelas ruas da capital sergipana.


Durante a Jornada de Luta, em Aracaju, os trabalhadores estarão participando de análise de conjuntura sobre o atual momento e debatendo sobre as medidas e propostas do governo provisório e golpista de Michel Temer, como a extinção do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), reforma da Previdência, fim do financiamento habitacional rural através do programa Minha Casa Minha Vida, a anulação dos decretos que legalizam áreas quilombolas, fim do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), através da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a ameaça ao Sistema Único de Saúde (SUS), com o fim do programa Mais Médicos e Farmácia Popular, entre outras.


Na quinta-feira pela manhã, será realizada a mobilização “Fora Temer”, na praça General Valadão e, à tarde, plenária sobre o Golpe de 1964, nas ocupações. Já na sexta-feira, dia 10, a partir das 14 horas, à praça General Valadão para o grande ato com outros trabalhadores, trabalhadoras, estudantes, sindicalistas e entidades que compõem a Frente Sergipana Brasil Popular.