Da Página do MST

 

O MST em Minas Gerais emitiu nesta segunda-feira (06) uma nota em que classifica como "erro grosseiro" a edição por parte do portal de notícias G1, da família Marinho, de matéria sobre um suposto estupro em acampamento do Movimento, na cidade de Teófilo Otoni. Na nota o MST reafirma seu compromisso com o combate a violência contra a mulher ao passo que esclarece que não há qualquer ocupação no referido município sob responsabilidade do MST. Confira o texto assinado pela direção estadual de MG:


Site G1 divulga notícia mentirosa sobre o MST


O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra de Minas Gerais esclarece que não é responsável por nenhuma ocupação urbana da cidade de Teófilo Otoni, tão pouco tem relação com o fato criminoso noticiado pela site G1, neste sábado (04).


A notícia mentirosa foi veiculada sem o conhecimento do movimento. O erro grosseiro e a falta de apuração só comprovam mais uma vez a decadência dos meios de comunicação brasileiros. Estes, não possuem qualquer compromisso com a verdade e com a população, a quem deveriam informar e não propagar falácias que tentam degradar a imagem dos movimentos sociais.


Exigimos uma imediata retificação do site. Ressaltamos ainda que o MST repudia qualquer tipo de violência contra a mulher e não tolera condutas criminosas entre seus membros.


Direção Estadual do MST-MG