MG_6980.jpg
Fotos: Agência Estadual de Notícias

 

Por Riquieli Capitani
Da Página do MST

 

O MST participou nesta quarta-feira (25), às 16h, de uma audiência com o governador Beto Richa (PSDB) no Palácio Iguaçu, em Curitiba, no Paraná.


Com o objetivo de retomar o dialogo político sobre a questão da Reforma Agrária no estado, a audiência também contou a participação de Nilton Bezerra, superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra/ PR), e Leonardo Goes Silva, diretor do nacional Incra, além de Hamilton Serighelli, Assessor Especial para Assuntos Fundiários, Olimpio de Sá Sotto Maior, Procurador de Justiça do Ministério Público do Paraná e o Deputado Estadual, Professor Lemos.


O encontro com o governador aconteceu após o despejo violento na fazenda Santa Maria, em Santa Terezinha do Itaipu, oeste do estado, realizado na quarta-feira (18).


O coordenador nacional do MST, Diego Moreira, explicou que a audiência não discutiu casos específicos de áreas, mas sim, o assentamento das 10 mil famílias Sem dos 80 acampamentos do Paraná.


“Aqui não foi conversado caso A ou Y, a prioridade são as 10 mil famílias acampadas no estado. Diante disso, o governo assumiu o compromisso de que toda e qualquer ação em relação à Reforma Agrária no Paraná será tratada numa mesa de dialogo, de negociação, através da secretária de assuntos fundiários”.


Segundo Moreira, o governo se comprometeu em buscar novas áreas de acampamentos. “Será feita uma força tarefa aqui no estado entre o governo do Paraná, Ministério Público e o governo federal, que dará suporte ao Incra para resolver a questão das 10 mil famílias acampadas, assentando todas até 2018”. 
 

IMG_0252.JPG
Fotos: Agência Estadual de Notícias


“Temos um balanço bastante positivo da audiência, foi uma reunião bastante simbólica, porque restabelece um processo de mediação política, um processo de dialogo, na busca do assentamento das famílias acampadas no Paraná”, afirma Moreira.


O assessor especial para Assuntos Fundiários, Hamilton Serighelli, afirmou que a reunião foi muito produtiva e pacifica, e que os dois fatos de violência que aconteceram​ no estado, foram pontos fora da curva, e que agora foi restabelecido o dialogo. “É isso que o governador e movimento querem paz no campo”, afirmou. “Todo o processo que temos é de entendimento e negociação”, ressaltou.


"Temos cerca de 90 processos que dão em torno de 120 mil hectares que são suficientes para acampar todas estas dez mil famílias", garantiu o superintendente do Incra no Paraná, Nilton Bezerra.