Da Página do MST 

 

O MST vem a público repudiar veementemente a ação de um policial militar do Estado de São Paulo contra a marcha do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), em Itapecerica da Serra, nesta quarta-feira (04). Na ocasião, o policial militar, Robson Vieira do Nascimento atirou com uma arma letal contra Edilma Aparecida Vieira dos Santos, 36, integrante do MTST.


Cerca de 500 manifestantes da ocupação João Goulart seguiam em direção à prefeitura de Itapecerica da Serra, quando foram surpreendidos pelo policial que disparou de dentro de um carro em movimento contra a manifestação, atingindo Edilma na barriga.  


Após ser identificado o policial foi preso em flagrante e levado ao presídio Romão Gomes.


O MST entende que essa é mais uma ação insuflada pela criminalização dos movimentos sociais. Uma ação que não se isola de outras tantas que vemos acontecer Brasil afora - como por exemplo, o ataque ao acampamento Frei Henri, ocorrido essa semana no Pará ou a Chacina da Araupel, em que dois Sem Terra foram assassinados no início de abril, em Quedas do Iguaçu-PR.


Ataques como esse mostram o recrudescimento da violência contra lutadores do povo, num cenário de ânimo fascista, que suporta uma agenda de ataques aos diretos da classe trabalhadora e da militância de esquerda.


Prestamos aqui nossa solidariedade ao MTST e à vítima deste atentado, desejando sua recuperação breve e retorno à luta.


Não passarão!

 

São Paulo, 5 de maio de 2016.