Acampamento Olga Benário (3).jpg

 

Por Karina Vilas Boas
Da Página do MST

 

No último domingo 1º de maio, diante do cenário político nacional, em que direitos históricos e conquistas sociais dos trabalhadores estão ameaçados e a democracia está correndo sérios riscos, o MST de Mato Grosso do Sul, em protesto e reivindicação aos direitos das famílias acampadas e assentadas, realizou duas fortes ações no estado, durante este final de semana, que antecedeu a data simbólica e de luta.


A primeira ação aconteceu com a ocupação de um latifúndio, localizado na BR 163, entre Naviraí e Itaquirai, próximo ao trevo, com cerca de 500 famílias, que se mantém no local, reivindicando a Reforma Agrária. 

O movimento também reforçou, durante todo o final de semana, a vinda de famílias para o acampamento Olga Benário, que fica localizado às margens da BR 262/MS, entre Campo Grande e Terenos.


 

Acampamento Olga Benário (5).jpg


No momento cerca de 100 famílias estão acampadas e montando seus barracos. Essa ação se deu após a declaração da deputada federal, Tereza Cristina (PSB), a imprensa no último dia 12 de abril.

A deputada disse que: “há dezenas de fazendas improdutivas na região que poderiam ser desapropriadas pelo Incra para assentamento”, portanto chamamos a atenção da parlamentar, que não está cumprindo com os seus deveres como deputada federal, pois, poderia indicar ao Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra), tais propriedade.

 

Acampamento Olga Benário (4).jpg


O Movimento reafirma sua posição no campo em defesa da Reforma Agrária Popular, da demarcação de terras indígenas e da democracia.