Da Página do MST
Por Gustavo Marinho

 

A Campanha Permanente Contra o Uso dos Agrotóxicos e Pela Vida lança seu comitê em Alagoas na próxima quinta-feira (28). O lançamento do comitê acontecerá no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas (Ceca - Ufal) às 13h30.


O lançamento ocorre na passagem da Marcha em Defesa da Reforma Agrária, da Democracia e Contra o Golpe pela Universidade. A Marcha conta com a participação de mais de 1500 trabalhadores e trabalhadoras rurais Sem Terra, que na última segunda (25) saíram da cidade de União dos Palmares percorrendo mais de 80 km até a capital Maceió.


Para Luan Hamon, da Associação Brasileira dos Estudantes de Engenharia Florestal (Abeef) e do Levante Popular da Juventude, este é um importante momento de articulação entre os movimentos sociais. “A Campanha nacionalmente é um marco na articulação e luta contra os agrotóxicos e aqui em Alagoas essa articulação é fundamental, em especial por se tratar de um estado concentrador de terras e dominado pela cana-de-açúcar”, disse o estudante.


Luan reforça ainda a simbologia do ato de lançamento do comitê acontecer no espaço da Universidade, “a Universidade por muitas vezes reproduz e sustenta o modelo de agricultura, reproduzindo a lógica do latifúndio, da monocultura. Os movimentos ocuparem esse espaço é fundamental para desconstruir essa lógica e trazer o debate do que podemos e devemos construir dentro da Universidade também”, afirmou.


“Nosso estado é tomado pelo latifúndio da cana, que utiliza intensivamente agrotóxicos e isso tem gerado inúmeras mortes dos trabalhadores da cana-de-açúcar, que muitas vezes são encobertas como outras causas de morte”, afirmou Heloísa Amaral, da Comissão Pastoral da Terra destacando o papel do debate sobre o uso dos agrotóxicos em Alagoas.


“É preciso ainda garantir o debate sobre a alimentação saudável. Estamos avançando, a partir da agricultura familiar e camponesa, na produção de alimentos diversificados, mas é preciso garantir que esse avanço se dê no caminho correto, respeitando a natureza e os seres humanos.”


Já Edna Bezerra do Movimento Popular de Saúde (MOPS), ressaltou a necessidade de ampliar o debate sobre a relação dos agrotóxicos com a saúde da população: “nosso povo está adoecendo e isso sustenta a lógica desse modelo de produção que gera doença e ao mesmo tempo lucra com ela”.


“O Comitê em Alagoas terá um importante papel de construir diálogos com produtores e consumidores em relação ao uso de agrotóxicos nos produtos que vai para a mesa do povo brasileiro. A indústria dos agrotóxicos tem adoentado e matado com sua lógica mercantilista de enxergar e tratar a saúde”, disse Edna.


“É um passo importante que conseguimos aqui em Alagoas com o lançamento do Comitê. Não podemos ser envenenados diariamente e achar que isso é natural ou que não temos outra opção”, comenta José Roberto, da direção nacional do MST. “Não é a cana que enche a barriga do povo alagoano e brasileiro. Nossa luta deve ser pela produção diversificada de alimentos saudáveis para chegar na mesa de quem vive no campo e na cidade”, completou.


Participam também do lançamento do comitê uma diversidade de organizações estudantis e populares, além de grupo de estudos e coletivos do campo e da cidade.


Sobra a campanha


A Campanha visa combater a utilização de agrotóxicos e a ação de suas empresas (produtoras e comercializadoras), explicitando as contradições geradas pelo modelo de produção imposto pelo agronegócio, construindo um processo de conscientização na sociedade sobre a ameaça que representam os agrotóxicos, denunciando seus efeitos para a saúde e o meio ambiente, além de constituir-se num espaço de construção de unidade entre ambientalistas, camponeses, trabalhadores urbanos, estudantes, consumidores e todos aqueles que prezam pela produção de um alimento saudável que respeite ao meio ambiente.

 

Comitê.jpg

 

Serviço
Lançamento do Comitê Alagoas da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida.
Quinta-feira (28), às 13h30.
Auditório do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas.