Da Página do MST

 

O MST em conjunto com outros movimentos populares que compõem a Frente Brasil Popular realizam hoje (15), a Jornada Nacional de Luta por Reforma Agrária e pela Democracia, com marchas, ocupações e fechamentos de rodovias. No Paraná, centenas de assentados e acampados da reforma agrária, estão fechando rodovias estaduais e federais e abrindo pedágios.


O objetivo é denunciar a violência do latifúndio e do agronegócio contra os trabalhadores Sem Terra, que segue, na maioria dos casos impunes, como o Massacre de Eldorado dos Carajás, que no próximo dia 17 de abril, completa 20 anos do assassinato de 21 Sem Terras durante uma manifestação em Eldorados dos Carajás (PA).


No caso mais recente, em Quedas do Iguaçu, no Acampamento Dom Tomás Balduíno, região centro do Paraná, a policia militar junto com seguranças da Araupel fez mais duas vitimas fatais, Vilmar Bordim, de 44 anos, e Leonir Orback, de 25 anos, além de deixar sete trabalhadores feridos e dois detidos para depor e posteriormente liberados.
 

20160415052833.jpg
Foto: Geani Souza 
Cerca de 1500 manifestantes marcham em São Miguel do Iguaçu e abrem o pedágio da PR-277



Além disso, os movimentos também denunciam a ação de grupos conservadores que trabalham para a promoção de um impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff, sem que tenha sido comprovado um crime sequer cometido pela presidenta.


Segundo os movimentos, esses setores pretendem promover uma agenda política de ataques aos direitos sociais, trabalhistas, humanos, constitucionais e a própria democracia que a muito custo foram conquistados.


No Paraná, está acontecendo mobilizações em Curitiba, Cascavel, São Miguel do Iguaçu, Londrina, Maringá, entre outros lugares.