IMG-20160406-WA0019.jpg

 

Por Felipe Canova
Da Página do MST


Na última terça-feira (5), começou no Campus Darcy Ribeiro da Universidade de Brasília (UnB), a 3° Jornada Universitária em defesa da Reforma Agrária.


O tema da palestra inicial foi “A Reforma Agrária em Cuba: a inserção da juventude no campo”. A mesa contou com a participação de Raciel Proenza e Yusmari Díaz da embaixada de Cuba e Marco Antônio Baratto, da direção do MST-DF, do professor Jair Reck (UnB e Nescuba), além de estudantes, professores, militantes de movimentos sociais e de sindicatos.


A terceira edição da Jornada relembra o massacre de Eldorado dos Carajás, que completa vinte anos no dia 17 de abril, data que os movimentos sociais adotaram como Dia Internacional de Luta pela Terra.


A encontro tem como foco a denúncia da violência e a impunidade no campo, bem como a defesa da Reforma Agrária como instrumento fundamental de superação da desigualdade social.


Entre os muitos desafios na promoção da justiça social no campo está a questão da juventude e sua relação com a terra.


Para Yusmari Diaz, em Cuba, assim como no Brasil, o grande desafio é manter a juventude no campo, especialmente por conta das dificuldades econômicas após o fim do bloco socialista nos anos 1990.


"Felizmente hoje 62% dos agricultores de nossas cooperativas são jovens. A busca permanente por formação técnica e pela renovação de uma cultura agrária teve como resultado o retorno da juventude, que busca acima de tudo qualidade de vida", disse.


Para Marco Antônio Ribeiro, da direção estadual do MST no DF, a Reforma Agrária em Cuba é um exemplo para nós em muitos aspectos.


"Os poucos avanços obtidos nos últimos anos estão sendo cotidianamente atacados por uma ofensiva conservadora que pretende, em última instância, derrubar o pensamento critico e qualquer projeto de esquerda em nosso país. Isto mostra a importância de iniciativas como as Jornadas Universitárias de Apoio à Reforma Agrária que fomentam o debate sobre a questão agrária associando-a com a conjuntura nacional e as lutas que teremos daqui para a frente”, concluiu.


Para mais informações sobre a 3° Jornada Universitária em defesa da Reforma Agrária clique aqui.