WP_20160226_08_27_03_Pro.jpg


Por coletivo de comunicação do VER-SUS
Da Página do MST


Entre os dias 18 e 28/02 foi realizado o programa de Vivências e Estágios na Realidade do Sistema Único de Saúde (VER-SUS), na Escola Popular de Agroecologia e Agrofloresta Egídio Brunetto, no município de Prado, Extremo Sul da Bahia.


Com o objetivo de formar e abordar os âmbitos políticos, sociais e ambientais na saúde e na agroecologia, o VER-SUS, em 2016, contou com a participação de 43 estudantes e sete facilitadores.


Temas como a análise de conjuntura sociopolítica, Reforma Sanitária Brasileira, o Projeto Saúde Popular, a agroecologia nas áreas de Reforma Agrária e o atendimento as populações específicas, como: LGBTs, mulheres, indígenas e os negros e as negras, deram o tom aos debates.


De acordo a Itana Suzart, da comissão organizadora do VER-SUS Bahia, a vivência é um programa que permite aos estudantes desenvolverem os conhecimentos através da troca de experiências, integrando a teoria e prática.


“Vivenciar o cotidiano de trabalho das organizações e serviços de saúde possibilita a formação de profissionais éticos e comprometidos politicamente com as necessidades de saúde da população”, explicou Suzart.


Durante a vivência, os estudantes visitaram as instalações dos serviços da rede de saúde do município de Teixeira de Freitas e as experiências, no campo da saúde popular e alternativa, construída nas áreas de Assentamentos e Acampamentos do MST.


Para Isabela da Silva, estudante de fonoaudiologia da Universidade Estadual da Bahia (UNEB), a experiência foi mágica e transformadora para todos, possibilitando a desconstrução de preconceitos e a construção de novos conhecimentos, fortalecendo assim a luta pela defesa do SUS como instrumento da classe trabalhadora.


Já Edinaldo Correia, da direção estadual do MST, afirma que o intercâmbio fortalece as relações entre os movimentos sociais do campo e da cidade, despertando nos estudantes um novo olhar para a saúde popular, a agroecologia e a Reforma Agrária.


O VER-SUS foi realizado pelos estudantes, sendo a primeira experiência na Bahia.


As atividades foram fruto da Frente Estudantil pela Saúde (FES), dos Centros e Diretórios Acadêmicos da Universidade Federal da Bahia (UFBA), da UNEB, do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA, da Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas, MST e Levante Popular da Juventude.