DSCF2736.jpg


Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia


Com o objetivo de reconhecer, rememorar e organizar mais 12 famílias na luta do Pré Assentamento Herdeiros do São João, localizado no município do Prado, é que entre os dias 22 a 26 de fevereiro, foi realizado o curso de formação política com acompanhamento técnico e organizativo.


Os Sem Terra discutiram as demandas e organização das famílias a partir da nucleação e afinidades de produção, bem como, a convivência e construção da agroecologia.


Nas místicas, os trabalhadores relembraram as dificuldades enfrentadas para conquistar a terra e apontaram os inúmeros desafios que se têm nas lutas pela democratização da terra. Exemplo disso, é a “garantia de uma produção intensa de alimentos agroecológicos, de maneira coletiva”, destacaram.


Para Etevaldo, pré assentado, “possuir a terra é muito gratificante, principalmente quando pisamos no solo onde vamos produzir e sustentar nossas famílias, mostrando ao latifúndio e a sociedade que a terra é para se morar, plantar e produzir”.


O curso organizou as famílias em núcleos de estudo, construindo laços e reafirmando ideais e construções coletivas, como: a agroecologia, soberania alimentar, o enfrentamento ao modelo de produção do capital e aos agrotóxicos.


“Tem gente que não acredita no Movimento quando é chamado para uma assembleia e diz que ‘não vai, por não acreditar’ e as 12 famílias que se somam ao pré assentamento testemunham que a luta vale a pena”, afirmou a pré assentada Rosilene Maria.