Da Página do MST 

 

O Papa Francisco manifestou o seu apoio à causa de um movimento ambientalista argentino, que desde 2012 luta contra a construção de uma fábrica de milho transgénico numa povoação da província de Córdoba.


De acordo com o serviço informativo da Santa Sé, Francisco escreveu a uma das ativistas do movimento, Vanessa Sartori, agradecendo “todo o bem” que aquele organismo está a procurar fazer, na defesa dos interesses da comunidade local.


“À senhora, à sua família e à comunidade paroquial de Malvinas Argentinas envio as minhas preces e bênçãos”, refere o Papa.


No centro desta questão está a povoação de Malvinas Argentinas, onde a empresa multinacional Monsanto, a “maior corporação agrícola do mundo”, pretende construir uma fábrica de milho transgénico “a poucos metros das residências e escolas do bairro” de Vanessa Sartori.


A 10 de janeiro, a jovem tinha escrito ao Papa Francisco alertando-o para o problema – a Monsanto “promete trabalho e progresso” para as pessoas locais, “mas é falso”, frisa a ativista.


Em vez de alimentos, a fábrica produziria “biocombustível e utilizaria milhões de litros de água e pesticidas”, numa clara ameaça para a população e para o ambiente.

Por agora, “a justiça argentina suspendeu a construção, considerando-a uma violação da lei nacional do meio-ambiente”, mas o processo ainda não terminou.