not_6236e8e92b7f8062a1bf84d0a6628914.JPG
Famílias reunidas em assembleia na ocupação 


Da Página do MST 


Na madrugada do último domingo (17), cerca de 1500 Sem Terra derrubaram as cercas de mais um latifúndio em, Rianápolis, Goiás.


A fazenda Sibéria que fica a 200 km de Goiânia, contém aproximadamente dois mil hectares e é um espolio com dívidas, abandonada pelos pretensos donos e utilizada para plantio de cana-de-açúcar.


Nas últimas décadas a região vêm enfrentando processos de constatação fundiária e o avanço do Capital no campo, notória principalmente pela monocultura de cana-de-açúcar e a mecanização que contribui para o processo de desemprego estrutural e de migração forçada campo cidade. 


Histórico Estadual


O MST iniciou sua atuação mais organizada na região em 2015 com objetivo de organizar as pessoas para a luta pela terra via trabalho de base e organização de acampamentos utilizando as ocupações como forma de luta.


Esta é a segunda ocupação na região organizada pelo MST nos últimos seis meses. O outro acampamento fica   com  aproximadamente 300 famílias fica no município de Itapaciem. 


Os Sem Terra já conseguiram  no Tribunal de Justiça suspender por duas vezes a liminar de reintegração de posse do local.


Atualmente as famílias estão na área plantando milho  com sementes crioulas produzidas por famílias camponesas base do MCP (Movimento Camponês Popular).


Já o acampamento Paulo Freire em permanecerá Rianápolis permanecerá aberto recebendo pessoas que queiram se organizar na luta pela terra. 


Em assembleia realizada na noite de ontem, os Sem Terra decidiram que o processo de plantio na área cpmeça ainda essa semana.