03.jpg


Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia


Nesta última quarta-feira (13/01), cerca de 1.500 trabalhadores e trabalhadoras Sem Terra realizaram uma homenagem aos médicos cubanos que atuam no programa “Mais Médicos” na Bahia.


A homenagem que ocorreu no Encontro Estadual do MST, em Salvador, teve o objetivo de fortalecer a solidariedade internacional, bem como reconhecer a unidade e o compromisso político social dos médicos com a população baiana, cujo programa ganhou um significado especial para toda classe trabalhadora do campo e da cidade.


De acordo com Edinaldo Correia, do coletivo estadual de saúde do MST, o diferencial dos médicos internacionalistas cubanos é a capacidade de se adaptarem as diversas realidades e de conviverem com o povo, “essas são qualidades dignas que precisam ser reconhecidas”.


“Esse diferencial existe porque Cuba desenvolve um sistema de educação que prepara seus profissionais para se preocuparem com o ser humano e não com o capital”, explicou Correia.


A homenagem contou com músicas cubanas, os símbolos do MST, as bandeiras dos países e muitos gritos de ordem que dão unidade internacionalista as lutas populares.
 

editada.02.jpg
Edinaldo Correia, do coletivo estadual de saúde do MST na Bahia


Atuação

 

Nilvadia, assentada, acredita que a forma diferenciada de atuação do médico cubano na Unidade de Saúde da Família (USF) no Assentamento Lagoa e Caldeirão, em Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, conseguiu conquistar a todos.


“Achei interessante a maneira como o médico conduziu o atendimento quando relatei o problema. Ele se preocupou comigo e quis saber sobre toda minha vida, sobre meu cotidiano, meu trabalho, para depois de meia hora chegar a um diagnóstico”, disse.


Ela afirmou ainda, que quando o atendimento se encerra existe uma interação entre o médico e a comunidade.


02.jpg

Programa Mais Médicos


Para médica cubana Milayme Tomé Lopez, especialista em clínica geral, o Programa Mais Médicos é uma das ações mais importantes que o governo federal já idealizou, pois possibilita que o atendimento chegue a lugares onde não havia, ou onde teve e depois acabou.


Além disso, pontuou que para Cuba o projeto é muito importante. “Aqui temos a oportunidade de apresentar as características do internacionalismo solidário e a concepção de saúde cubana à classe trabalhadora do Brasil”.


O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA), esteve presente no ato e afirmou que o programa é uma das grandes conquistas dos trabalhadores brasileiros, pois enfrentou a corporação dos médicos conservadores do Brasil e abriu novos caminhos para avançar com a saúde nas comunidades carentes.


“O programa se tornou um diferencial, especialmente, pela característica dos médicos cubanos no atendimento, na sua formação e na relação com as pessoas”, concluiu o deputado.