580334_861323960646845_2661259239531209696_n.jpg


Por Tiago Pereira e Thales Emmanuel
Da Página do MST


Na manhã dessa terça-feira (22), cerca de 300 famílias Sem Terra ocuparam a subestação da Petrobras da fazenda Belém, em Icapuí (CE). 


A ocupação teve como objetivo reivindicar a doação da água potável encontrada pela empresa durante perfuração de poços no local. A exigência de uma audiência com as prefeituras de Icapuí, Aracati, governo do estado e a Agência Nacional de Petróleo (ANP) foi atendida e marcada para esta quarta-feira (23).


São mais de 500 famílias que padecem com a mesma problemática de abastecimento há tempos, intensificada nos últimos quatro anos.

 

12376557_861322850646956_2256793571287761956_n.jpg

Segundo um dos representantes da Associação dos Engenheiros da Petrobras, quando há uma perfuração que não se encontra petróleo, mas sim água, o poço é entupido e quem pode fazer o procedimento de arrecadação do poço seria a prefeitura, via ANP.


O estopim para ocupação ocorreu depois que mais um poço perfurado numa das comunidades foi entupido.  
Segundo o representante do MST, Elisangela Gomes, a ocupação foi necessária para fazer avançar o processo de negociação que não andava. 


“Por conta, sobretudo, da devastação e poluição provocada pelo modelo econômico vigente, as lutas por água tendem a se acirrar. E o povo já sabe que a culpa pela sua sede não é de São Pedro”, disse Gomes.


No decorrer da manifestação, os trabalhadores e trabalhadoras gritavam: “Estamos com sede de água e de justiça!".